Assaltante é preso após entrar em luta corporal com a vítima

Diz um ditado popular que um dia é da caça e outro do caçador. É assim que se pode avaliar a prisão feita na manhã desta terça-feira pela Polícia Militar com o tenente Freitas e o soldado Castro, na Rua Agenor Nogueira, região da Vila Aparecida. Quem se deu mal nessa ocorrência foi Rodrigo Burgarelli, de 30 anos de idade, que por muito pouco não perdeu a orelha direita ao entrar em luta corporal com a vítima.

Tudo começou por volta das 5h30 quando o proprietário do Açougue Cortez, que se chama Isael Cortez e mora na casa dos fundos, ouviu barulho estranho no interior de seu estabelecimento comercial. Ao entrar no açougue deparou-se com o marginal, que apanhou uma das facas e passou a ameaçar a vítima. Ele já havia aberto o caixa e subtraído todo o dinheiro.

Porém, Cortez teve uma reação inesperada e fez uma coisa que é desaconselhada pela polícia nesses casos: partiu para cima do marginal armado, já que esse mesmo cidadão o havia assaltado outras vezes. Na luta corporal a faca acabou ferindo a orelha direita do assaltante. A mulher do açougueiro acionou a polícia que compareceu no local e deu voz de prisão ao meliante.

“Sei que é errado reagir, mas quando o vi no açougue perdi noção do perigo, entrei em luta corporal e a faca acabou atingindo uma de suas orelhas. Minha intenção não era ferir, mas sim imobilizar esse rapaz, pois não é a primeira vez que me assalta. A PM chegou rápido e fez a prisão”, lembra o comerciante.

O tenente Freitas relata que Burgarelli já é bastante conhecido da polícia e é apontado como o autor de uma série de roubos e furtos cometidos naquela região da cidade. Porém, alertou que em momentos de assalto como este, não se deve reagir. “Felizmente, a vítima levou a melhor, mas não aconselhamos este tipo de reação. O marginal não tem nada a perder e quando comete um crime dessa natureza fica mais nervoso que a própria vítima e sua reação é imprevisível”, disse o oficial da PM.

Revela que Burgarelli já foi preso outras vezes, é usuário de droga e comete os crimes para sustentar o vício. “Por isso a gente nunca pode prever o que uma pessoa que está desesperada para comprar droga é capaz de fazer. Agora (Burgarelli ) terá que responder por este e por outros crimes que lhe são atribuídos”, observou Freitas.

Depois de ser medicado no Pronto Socorro (PS) do Hospital Regional Sorocabana, o marginal prestou depoimento ao delegado titular do 1º Distrito Policial (DP), Marcelo Lanhoso de Lima e foi recolhido ? Cadeia Pública local, que está parcialmente interditada pela Justiça e na manhã desta segunda-feira (até as 10 horas) contava com 95 presos, distribuídos em dez celas.

Fotos: Quico Cuter