Assaltante de Botucatu morre em confronto com a PM

Bruno Felipe de Camargo, de 19 anos de idade, que estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça de Botucatu por crime de roubo ? mão armada, morreu baleado no Mato Grosso do Sul, em um confronto com a Polícia Militar daquele Estado.

Bruno Camargo foi identificado como autor de um roubo ? mão armada seguido de lesão corporal cometido contra um casal de idosos no último dia 24 de julho na zona rural do municipio e fugiu para o Mato Grosso onde passou a fazer parte de uma quadrilha e ficou conhecido como “Paulista”.

Na noite de segunda-feira (19), por volta das 19 horas, uma família de Nova Andradina foi rendida por ladrões que roubaram uma caminhonete e tomaram rumo ignorado. O assalto aconteceu em uma propriedade rural, a cerca de 20 quilômetros de Nova Andradina.

Uma equipe de policias do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), que estava na região, inclusive monitorando o grupo, que já atuava nas cidades vizinhas, praticando roubos de grandes proporções, conseguiu chegar até o local que servia de acampamento para o bando.

Três caminhonetes, uma motocicleta e o veículo Fiat Strada, todos oriundos de ações criminosas, estavam em poder dos assaltantes, que contavam com uma espécie de vigia na entrada do acampamento onde teve início a troca de tiros, no momento em que eles tentaram enfrentar os policiais. Além dos veículos, o DOF encontrou no local diversas armas de fogo.

Cinco assaltantes, identificados como Carlos Alberto Matos Almeida, 23 anos, conhecido como “Bijula”; Ademir de Oliveira Lopes Melo, 20 anos, o “Demi”; Samir Raslam da Silva, 30 anos; Alexandre dos Anjos Nascimento, 26 anos, o “Lixa”; e o botucatuense Bruno Felipe de Camargo, 26 anos, o “Paulista”, foram mortos no confronto com o DOF. Um sexto criminoso que estava no local teria conseguido fugir pela mata. A ação ocorreu próximo a um assentamento na região de Nova Casa Verde, sentido ? Capital, Campo Grande, onde havia cerca de 16 policiais bloqueando as principais rotas de fuga e descaminho de produtos de origem ilícita.

Os corpos dos criminosos foram encaminhados para a cidade de Dourados, onde se concentram as investigações sobre a quadrilha. A família vítima da ação dos ladrões esteve na 1ª Delegacia de Polícia de Nova Andradina na manhã desta terça-feira (20) para prestar depoimento.

O titular da Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Fronteira (DEFRON), Pedro Espindola de Camargo, relatou que o confronto começou quando os policiais foram recebidos a tiros pelos suspeitos durante o cerco do local onde eles estavam. “Eles montaram barracas grandes e estavam fortemente armados com armas de calibres 9 milímetros,12 milímetros e espingardas”, afirmou o delegado.

Segundo o policial, o bando estava sendo investigado desde sexta-feira (16), quando houve um assalto em Nova Alvorada do Sul. Na ocasião, o bando rendeu seis pessoas, fazendeiros da região e duas crianças, em uma estrada vicinal entre propriedades rurais e a BR-267.

As vítimas foram mantidas reféns em dois locais diferentes e foram encontrados somente com o uso de duas aeronaves da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Um suspeito foi preso ainda na sexta-feira pela polícia em Ivinhema.