Asfixia causou a morte de pedreiro encontrado em estrada

O resultado do exame necroscópico feito no corpo do pedreiro Lincoln Willian Kraus, de 31 anos de idade pelo Instituto Médico Legal (IML), indicando asfixia por estrangulamento não deixa dúvidas de que houve um assassinato. O laudo conclusivo foi divulgado na manhã deste sábado (26). O corpo foi encontrado por volta das 7 horas desta sexta-feira (24) em uma estrada de terra que dá acesso a Rodovia Alcides Soares entre o Distrito de Vitoriana e a ponte do Rio Capivara (ou Capivarinha).

O cadáver estava com marcas de pneus nos braços e pernas indicavam, preliminarmente, um possível atropelamento. Entretanto, ferimentos na cabeça e um cadarço de tênis amarrado no pescoço da vítima fizeram a polícia acreditar em assassinato, fato confirmado pelo laudo do IML. Outro detalhe é que posição em que o corpo ficou gerou a suspeita de que poderia ter sido jogado (desovado, no dialeto policial) naquele local. Com o resultado da necropsia em mãos os policiais da Delegacia de Investigações (DIG) trabalham para identificar o autor ou autores do crime.

Vale lembrar que a reportagem do Jornal Acontece Botucatu esteve com os familiares de Kraus, na tarde de sexta-feira na 2ª Central de Polícia Judiciária onde o Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado pelo delegado Marcos Mores, poucas horas depois de o corpo ser encontrado e eles não tinham nenhuma dúvida de que a morte não teria sido causada por atropelamento.

Alegaram que o pedreiro trabalhava com seu pai em Botucatu, já havia morado em Vitoriana, na Rua José Bissacot, e costumava pescar naquela região do município, mas nunca ia sozinho e nenhum indício foi constatado de que tivesse ido para aquele lugar praticar a pesca. “Ontem ? noite (quinta-feira) ele estava estranho e saiu de casa dizendo que ia cobrar uma dívida. Até me perguntou se eu tinha um cabo de aço. Insisti para que não fosse, mas ele não me atendeu”, disse o pai, Orlando Kraus.

A madrasta da vítima (Leonor) alegou que Lincoln Kraus estava vivendo um novo momento em sua vida. “Ele tinha problema com o crack e bebida, mas estava há vários dias sem fazer uso de nada. Garantiu que havia mudado de vida para cuidar da filha e estava em paz com ele mesmo. Por isso, achamos estranho ele estar naquela estrada sozinho durante a madrugada. Confiamos no trabalho da polícia e temos a certeza de que tudo será esclarecido”, disse a mulher.