Ambiental recebe as chaves das novas caminhonetes da frota

Em um ato simbólico, a Polícia Militar Ambiental de Botucatu, recebeu das mãos do prefeito João Cury Neto as chaves das duas novas caminhonetes Mitsubishi L200 Triton, que serão usadas em operações na zona rural do Município. A Ambiental de Botucatu responde por uma área que abrange 26 municípios da região. A doação dos veículos foi feita pelo governo do Estado que destinou para esta região quatro veículos novos veículos de última geração. Duas caminhonetes ficarão em Botucatu e as outras duas irão para as bases de Avaré a Pirajú.

O comandante da regional da Ambiental de Botucatu tenente Gustavo Henrique do Nascimento, mostrou ao prefeito a tecnologia dos veículos, que possuem, entre outras coisas, computador de bordo, sistema de GPS integrado, tração nas quatro rodas e rebocador. Com essa nova aquisição a base de Botucatu Ambiental passa contar com 16 viaturas, sete barcos e uma lancha.

Em entrevista concedida ao {n}jornal Acontece{/n} na manhã de segunda-feira (28), o tenente Henrique, não escondeu seu contentamento com os veículos que serão de grande utilidade para o patrulhamento rural. “Em determinadas áreas um veículo comum têm muita dificuldade para trafegar. Porém essa caminhonete tem muita força e poderá entrar em locais de difícil acesso”, comemorou Henrique, que também falou sobre a construção da nova sede da Polícia Militar Ambiental de Botucatu, em um amplo terreno ao lado da DER (Departamento de Estrada de Rodagem) ? s margens da Rodovia Marechal Rondon.

Tenente Henrique adiantou que a sede terá 500 metros quadrados de área construída, em uma área de 3.600 metros quadrados. Atualmente a base da Ambiental está instalada em uma mesma área do viveiro de mudas, garagem municipal e canil. “Essa nova sede que está sendo construída é uma antiga reivindicação e foi conseguida graças a uma união de forças do governo do Estado, Prefeitura Municipal e Ministério Público e será dotada de moderna infraestrutura”, revelou o tenente da PM.

O comandante da Ambiental frisou que a área de patrulhamento da Polícia Ambiental nas 26 cidades da região é bastante ampla com 15 mil quilômetros quadrados de área terrestre, 1.000 quilômetros quadrados de rios e 1.500 km de represas, atendendo uma média 10 denúncias de crimes contra a natureza por dia, sendo que as maiores incidências estão com o tráfico de animais silvestres, pesca predatória e desmatamento e incêndio em canaviais.

O trabalho de patrulhamento da Ambiental efetuado no ano passado colaborou para que Botucatu fosse considerada uma das cidades com menor índice de violência do Estado. Somente que se refere a armas, que poderiam ser utilizadas para prática de crimes como roubos e homicídios, foram apreendidas 27.
Outros dados interessantes foram apresentados pelo comandante, como o montante de multas arbitradas que somaram R$ 2.723.225,74 ou o percurso percorrido que chegou a 147.512 quilômetros. Também faz parte da estatística a fiscalização em 2.370 propriedades rurais ou os 4.144 Boletins de Ocorrências (BOs) confeccionados, com 35 prisões em flagrante.

No que diz respeito a autuações os números também são expressivos: foram 138 florestais, 87 de caça e 68 de pesca. Isso sem falar na apreensão de 1.409 unidades entre redes e tarrafas que somariam em linha reta 37,8 quilômetros de extensão.

Fotos: Macaru