Ambiental apreende serpentes e aranhas em cativeiro

Fotos: Valéria Cuter

A Polícia Militar Ambiental de Botucatu atendendo a uma denúncia feita, anonimamente, esteve na tarde desta terça-feira (19) na Rua Rafael Lopes, região do Jardim Ciranda para fazer a apreensão de várias cobras e aranhas que estavam sendo mantidas, irregularmente, em cativeiro. Na operação estiveram os policiais Andrade, Viotto e Galvão.

No local, o pedreiro Reinado Gomes (34) mantinha em caixas plásticas oito cobras (quatro jibóias, duas cascavéis, uma píton e uma jararaca), além de seis aranhas (três viúvas negras e três caranguejeiras).

“Manter animais silvestres em cativeiro, sem a devida autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Produtos Renováveis (Ibama), se caracteriza em crime ambiental, como foi este caso. Entre os animais haviam cascavéis e uma jararaca que são muito venenosas, assim como as aranhas, que só podem ser manuseados por pessoas especializadas. Por isso esse cidadão irá responder processo”, adiantou Andrade.

Reconhecendo que sabia que não poderia manter os animais em cativeiro em sua casa, Gomes frisou que seus vizinhos o chamam quando encontram animais venenosos. “Eu capturo e solto no mato. Ia fazer isso com as cobras e as aranhas que estavam comigo. Só ia ficar a cobra píton que não é brasileira e que ganhei de uma amiga”, ressaltou.

Os animais foram encaminhados ao Centro de Estudos de Venenos de Animais Peçonhentos (Cevap), da Unesp, onde ficarão por um período em observação. “Os animais receberão todos os cuidados necessários e passarão pelos tratamentos veterinários que forem necessários. Em uma rápida análise podemos dizer que (cobras e aranhas) se encontram em bom estado de saúde”, avaliou o biólogo Airton Lourenço Júnior.