Ambiental apreende pescado e combustível no Rio Tietê

Uma mega operação foi desencadeada nesta quinta-feira (09) pelo 2º Pelotão de Policia Militar Ambiental de Botucatu na região do Porto Said ? s margens do Rio Tietê, durante a Operação Piracema. A ação militar teve o comando do tenente Henrique, que contou com a participação de aspirantes oficiais Bravo e Calandrini, sargento Valandro, cabo Dárcio e soldados Viotto, Hilton e Galvão.

Realizando um trabalho de vistoria ambiental pelo município de Botucatu, os policiais chegaram até ás margens da represa Barra Bonita (Porto Said), onde flagraram a ilegalidade cometida por pescadores em um entreposto de beneficiamento de pescados.

Pelo local constatou-se que havia 410 kg de tilápias sem cabeças e sem vísceras, 491 kg de filés de tilápias armazenados em caixas plásticas, além de 150 kg de peixes nativos diversos (piau, piranha, corimbatá, mandi amarelo e lambari). Os policiais ainda encontraram 124 kg de peixes diversos filetados (merluza, pacu de cativeiro, camarão e cação), sendo apresentada nota fiscal. No total foram mais de uma tonelada de peixes aprendidos.

“Os envolvidos não possuíam autorização do órgão ambiental competente e o local não tinha as mínimas condições de higiene”, relatou o tenente Henrique. “Diante dos fatos foram lavrados dois autos de infração ambiental totalizando mais de R$ 1 milhão (R$ 1.070.000,00), sendo um por beneficiar pescados sem autorização do órgão ambiental competente e o outro por beneficiar espécimes provenientes da pesca proibida. Como os peixes já estavam em estado não recomendável para consumo humano, foram destinados ao aterro sanitário de Botucatu”, acrescentou o comandante da Ambiental.

{n}Combustível{/n}

Não bastasse essa grande apreensão de diferentes espécies de peixes pescados e manuseados de maneira ilegal, os policiais da Ambiental se surpreenderam ao detectar no local, a existência de um depósito onde estavam armazenados mil litros de etanol (álcool) e 1,3 mil litros de gasolina.

“Os produtos inflamáveis estavam estocados em galões plásticos de forma precária, sem condições mínimas de segurança, dentro da câmara frigorífica”, relata o comandante da Ambiental, lembrando que o depósito de acondicionamento do combustível foi lacrado pelos peritos da Polícia Técnica Científica, que compareceram ao local. Os dois indiciados, que foram flagrados no local, que segundo consta pertence a um advogado, foram presos, pagaram fiança e acabaram liberados, sem ter os nomes liberados.

{n}Época de Piracema{/n}

Nunca é demais lembrar que mais este flagrante da Polícia Ambiental aconteceu na época da Piracema, que é o período de desova dos peixes, iniciada em novembro de 2011 e se encerra dia 28 de fevereiro de 2012. A pesca neste período pode se caracterizar em crime e o infrator ser preso em flagrante e pagar multa, cujo valor varia de acordo com a gravidade da infração.

“As restrições na pesca durante o período da piracema tem como objetivo garantir que os peixes nativos da região possam procriar em seu período de reprodução. O período da piracema é fundamental para a reposição das espécies que vivem nos rios, barragens e represas do Estado e a polícia está atenta para fazer com que as normas sejam cumpridas”, afirma o soldado Viotto, lembrando que o telefone da Polícia Ambiental é (14) 3882-6070.