Adolescente morre assassinado com tiro na cabeça

Na manhã desta quinta-feira um adolescente de 12 anos de idade de nome Matheus Eduardo Culichi de Camargo, que era chamado de Mateuzinho, morreu assassinado com um tiro acidental que atingiu sua cabeça, enquanto jogava vídeo game. O menino ainda foi socorrido com vida pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, mas morreu a caminho do hospital.

O tiro acidental foi disparado por outro adolescente de 16 anos (foto) que estava brincando com um revólver que encontrou numa estante no quarto do tio do garoto assassinado. A Polícia Militar que esteve no local do crime detectou que nesta arma havia cinco balas e o adolescente tirou quatro, mas uma ficou no tambor do revólver e ele acabou puxando o gatilho quando a arma estava apontada para a cabeça de Matheus.

Estavam na casa no momento em que o tiro foi disparado, cinco adolescentes (quatro meninos e uma menina), inclusive um irmão de Matheus, ambos são filhos do mesmo pai e mãe diferentes. O menino assassinado, que morava com a mãe biológica, estava passeando na casa do pai.

O agravante é que o pai deste menino que morreu de forma trágica, Halysson Gonçalves Camargo (foto galeria), de 34 anos, acabou sendo preso em flagrante. Isso porque o revólver que matou o menino estava com a numeração adulterada e ele responderá por crime de posse ilegal de arma e homicídio.

Outro dado levantado pelos policiais é que quando percebeu que o filho havia sido baleado, Camargo ao invés de prestar socorro procurou livrar-se da arma escondendo-a no quintal, embaixo de um pé de bananeira. Ele chamou a polícia alegando que havia sido vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo ele, um elemento encapuzado havia invadido a casa e disparado o tiro contra o garoto.

Porém, prosseguindo nas investigações e questionado pelos policiais que não acreditaram na versão que havia contado, Camargo, acabou relatando a verdade e mostrando o local onde a arma estava escondida. Além disso, Halysson Camargo é investigado como participante em crimes de receptação e roubo. Agora ele vai responder, também, por porte ilegal de arma e homicídio. Mais tarde, a reportagem do {n}Acontece{/n} apurou que ele estava sendo procurado por falta de pagamento de pensão alimentícia.

{bimg:6219:alt=interna1:bimg}

Depois de ser apresentado ao delegado Marcelo Lanhoso de Lima, titular do 1º Distrito Policial (DP), Halysson Camargo foi recolhido ? Cadeia Pública local e encontra-se disposição da Justiça. “Eu indiciei (o Halysson) por homicídio culposo (sem intenção de matar) e posse ilegal de arma, e o adolescente por homicídio culposo. Fiz o que determina a lei e encaminhei o caso ao Ministério Público para que outras providências sejam tomadas. O que coube ao 1º DP foi realizado”, comentou Lanhoso de Lima.

O adolescente que disparou o tiro contra a cabeça de Matheus foi apresentado ao Juiz da Vara de Infância e Juventude, Josias Martins de Almeida Júnior, para ser ouvido e o magistrado determinou sua internação em uma Fundação Casa, entidade que cuida de menores infratores. O caso continua sob investigação da Delegacia de Investigações Gerais, para que outros dados sejam levantados e confrontados.

A mãe e o padrasto do menor que ocasionou a morte de Matheus estiverem no 1º DP acompanhando o depoimento e lamentaram o fato, alegando que o filho nunca teve nenhuma passagem policial. “Ele nunca deu trabalho. O que aconteceu foi uma fatalidade e peço desculpas ? família do menino que morreu”, colocou o padrasto. “Eu também sou mãe, me coloco no lugar dela (da mãe de Matheus) e posso imaginar a dor que está passando por perder o filho dessa maneira”, disse a mulher. O casal pediu para não ser identificado.