Acusado de homicídio tentado enfrenta o banco dos réus

Os advogados  Cledir Menon Júnior e Alex Sander Guitierres, terão a incumbência de proceder a defesa no plenário do Tribunal de Júri de Botucatu, do réu Gelson Aparecido de Moraes, denunciado como autor de um homicídio tentado cometido contra Geraldo Domingues dos Reis, no dia 12 de novembro de 1996, na Avenida Conde de Serra Negra, região da Vila Maria.

Na ocasião, o crime chamou a atenção já que réu e vítima, até então, eram amigos.  Gelson teria passado na casa de Geraldo para irem a um jogo de futebol. Durante o trajeto, Gelson fez a seguinte colocação:  "Tenho uma coisa pra te contar, mas não vou dizer”!  Geraldo respondeu: “Então não diga”!

Então Gelson teria sacado um revólver e disparado cinco tiros contra Geraldo acertando várias partes de seu corpo. Com a vítima caída o réu ainda teria apertado o gatilho mais uma vez mirando a cabeça da vítima, mas o revólver já estava descarregado. Embora tenha se ferido com gravidade a vítima sobreviveu após passar 30 dias no hospital.

O trabalho em plenário será coordenado pelo juiz presidente do Tribunal de Júri, Marcus Vinicius Bachiega (foto) e representando o Ministério Público estará atuando o promotor de Justiça Marcos José de Freitas Corvino. Um  corpo de jurados formado por sete pessoas da sociedade botucatuense (entre as 25 convocadas) serão sorteadas para definir o futuro do réu.