Acusado de homicídio qualificado será julgado por júri popular

O Tribunal de Júri de Botucatu se reúne na manhã desta quinta-feira (21) para proceder o julgamento do réu João Moreno de Carvalho, de 45 anos de idade, que foi denunciado como autor de um homicídio doloso praticado contra Vagner Teixeira (na ocasião com 19 anos de idade) ocorrido na madrugada do dia 03 de dezembro de 2008, em um terreno na Rua Capitão José Paes de Almeida, região central de Botucatu.

Consta nos autos que Carvalho era apaixonado por uma frentista de posto de gasolina chamada Gisele e trabalharam juntos nesse estabelecimento comercial por cerca de um ano. Nesse período ele teria se apaixonado pela companheira de trabalho e tentou conquistá-la, porém não era correspondido.

No dia do crime João Carvalho teria passado o dia inteiro nas proximidades da residência da mulher e no início da noite percebeu que ela saiu em companhia de Vagner Teixeira e uma testemunha chamada Ivan, em um veículo Fiat Templa. Ao retornarem por volta das 3 horas da madrugada a mulher foi interpelada por Carvalho e ela entrou correndo para o interior de sua casa.

Ivan e Vagner Teixeira conversaram com o homem que estaria embriagado, pedindo para que retornasse durante o dia para conversar. Inicialmente, acatou o pedido e caminhou até um ponto de ônibus. Porém, inesperadamente, sacou de uma faca e voltou correndo em direção a Teixeira atingindo-o com um golpe no peito, levando-o ? morte.

Os trabalhos em plenário serão coordenados pelo juiz presidente do Tribunal de Júri, Marcos Vinícius Bachiega, tendo como representante do Ministério Público, o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino e dando assistência ? acusação estarão os advogados José Edilson Ferreira de Almeida e Leandro Sobolev de Lima. A defesa do réu será feita pelo advogado criminalista, Antônio Venâncio Martins Neto.