Acusado de assassinato é condenado a 18 anos de prisão

Foto: David Devidé

 

O juiz presidente do Tribunal de Júri da Comarca de Botucatu, Marcus Vinícius Bachiega presidiu essa semana os trabalhos do julgamento do réu Jairo Luiz de Campos, que foi denunciado como autor de um assassinato tendo como vítima Airton Marques de Paula. Motivo do crime teria relacionamento com o tráfico de drogas.

Consta na denúncia que no dia 25 de maio de 2006, por volta das 19h30, na Estrada Municipal dos Delegos, no Bairro Recanto do Havaí, Jairo Campos mediante três disparos de arma de fogo assassinou Airton Marques. No relatório consta que o crime foi praticado por motivo torpe, consistente de vingança e o réu teria usado recurso que impossibilitou a defesa da vítima que estava desarmada e foi atingida de surpresa.

Representando o Ministério Público atuou em plenário o promotor de justiça. Marcos José de Freitas Corvino que pediu a condenação do réu, defendido pelo advogado Carlos Carmelo Torres. Depois do debate entre acusação e defesa o Conselho de Sentença formado por sete pessoas da sociedade botucatuense (quatro homens e três mulheres) optou pela condenação do acusado.

O juiz, então, imputou ao réu uma pena de 18 anos de reclusão em regime fechado sem direito a recorrer em liberdade, pois pesa contra Jairo Campos sete processos já tramitados em julgado (condenado) por roubos (artigo 157), furtos (artigo 155) e porte ilegal de armas (artigo 14 da Lei 10.826 /03).