Acidente deixa pedreiro com fratura exposta

O transito fez mais uma vítima no final da tarde desta sábado, quando a equipe de resgate do Corpo de Bombeiros com os policiais Campinas, Júlio e Castro atendeu um pedreiro, de nome Célio de Souza Pereira, de 25 anos, que teve fratura exposta na perna direita. Depois se receber os primeiros socorros no local do acidente a ter a perna imobilizada pelos bombeiros foi internado no Pronto Socorro (PS) da Unesp.

Apurou-se que Célio Pereira trafegava com sua motocicleta Honda, placa DFD-1825, de Botucatu quando bateu violentamente na traseira de um VW Gol, placas AMC-9316, também de Botucatu, conduzido por Claudinei Manoel de Barros, de 43 anos de idade.

Para este acidente existem duas versões. O motoqueiro alegou que o VW Gol parou, de repente, na sua frente e ele não teve tempo de evitar a colisão. Já o condutor do Gol afirma que a batida foi causada em razão do motoqueiro estar em excesso de velocidade. O caso está sendo apurado.

{n}Estatística negativa{/n}

O registro de mais esse acidente só vem confirmar a estatística negativa da Polícia Militar que revela que acidentes envolvendo motocicletas estão se tornando corriqueiros na Cidade. O major Marcelo Oliveira, coordenador operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), salienta que os acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, totalizam 70% dos casos registrados diariamente.

“A maioria dos acidentes são ocasionados em razão da imprudência e imperícia dos condutores, principalmente em cruzamento de vias. O agravante é que todos (os acidentes) com motos geram vítimas, algumas graves”, observou o major da PM, lembrando que é comum em horário de pico observar motociclistas fazendo manobras arriscadas no trânsito colocando suas vidas e a vida do semelhante em risco.

“Além de campanhas educativas, bloqueios e atuação DET na colocação de placas sinalizadoras em locais de risco, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores de motocicletas. Estatisticamente, o erro humano é responsável por 90% dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia” enumera o major da PM.

Fotos: Macaru