Abelhas matam cão e deixam menina de 10 anos e sua avó em estado grave

Fotos: Valéria Cuter

Na tarde desta segunda-feira (5) um enxame de abelhas africanizadas (também conhecidas, popularmente, como tapa-goelas) matou um cachorro (de pequeno porte) e deixou uma menina de 10 anos em estado grave, que teve que ser internada no Pronto Socorro (PS) da Unesp, juntamente com sua avó (Antônia) que também levou diversas ferroadas ao tentar socorrê-la. O ataque das abelhas aconteceu na Rua Manoel Luiz dos Santos, região da Vila Aparecida.

Apurou a Guarda Civil Municipal (GCM) que esteve no local com os agentes Machado e Courel, que as abelhas estavam em uma casa de madeira em um antigo fogão ? lenha desativado, nas proximidades de uma churrasqueira na casa de número 389, onde mora uma senhora chamada Narciza, de 73 anos de idade. A mulher foi até essa casa de madeira que fica em seu quintal e ao abrir a porta percebeu que havia um enxame de abelhas alvoroçadas. “Corri para dentro de casa, mas no caminho tomei várias picadas. Não sei o que fez as abelhas ficarem assim tão bravas”, disse a mulher.

As abelhas, entretanto, chegaram até a casa vizinha onde atacaram os dois cães, a menina e a avó. Pessoas na vizinhança também receberam ferroadas. “A rua ficou cheia de abelhas voando prá lá e pra cá e eu também fui picada”, disse Ana Lúcia Souza que mora há 20 metros da casa onde estava o enxame.

Avó e neta foram conduzidas ? Unesp pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, onde permaneceram internadas sob observação médica. O outro cachorro da família (de médio porte) também sofreu o ataque dos insetos peçonhentos e acabou sendo internado na Veterinária da Unesp. Também esteve no local profissionais da Vigilância Ambiental em Saúde (VAS).

O trecho compreendido entre as duas residências onde os ataques aconteceram foram isolados pela GCM e um apicultor profissional foi incumbido de retirar o enxame durante o horário noturno já que durante o dia seria temeroso para os moradores, em razão da agressividade das abelhas. A recomendação foi para que ninguém se deslocasse até os fundos dos quintais onde as abelhas ficaram concentradas e mantivessem as portas e janelas fechadas.