“Operação Papai Noel” busca minimizar acidentes com motos

Além de coibir a ação dos marginais intensificando o patrulhamento nas principais ruas do comércio da cidade com a “Operação Papai Noel”, a preocupação da Polícia Militar é com relação aos acidentes de trânsito, principalmente, os que envolvem motocicletas, que totalizam 70% dos casos. Nesse segundo semestre a PM revela que a média em Botucatu girou em torno de oito Boletins de Ocorrências (BOs) todos os dias, sendo a maioria relacionados a condutores de motocicletas, que resultam em vítimas, algumas graves.

As motos estão inseridas em dados da Ciretran, mostrando, por intermédio de gráficos, que estão registrados em Botucatu cerca de 70 mil veículos circulando pela cidade, média de um veículo para cada dois habitantes. Isso sem contar os chamados veículos flutuantes, ou seja, aqueles que não são de Botucatu e apenas passam pela cidade ou permanecem por algumas horas ou poucos dias.

O major Marcelo Oliveira, coordenador operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), e da “Operação Papai Noel”, revela que a PM vem desenvolvendo um trabalho no intuito de alertar os motoqueiros, já que a maioria dos acidentes são ocasionados em razão da imprudência e imperícia dos condutores, principalmente em cruzamento de vias.

“Essa média já foi mais alta e registrávamos 12 acidentes por dia. Conseguimos diminuir o índice elaborando campanhas educativas, bloqueios policiais, além de um trabalho sincronizado da PM com o Departamento de Engenharia e Tráfego (DET), na colocação de placas de sinalização em pontos estratégicos e conflitantes e Guarda Civil Municipal GCM). Tudo isso contribuiu para que tivéssemos a queda nas ocorrências de acidentes de trânsito na cidade e não queremos que haja aumento neste final de ano”, observou o major da PM.

Garante o oficial que a polícia irá continuar realizando campanhas educativas e blitz policiais periódicas surpresas em diferentes pontos da cidade com a finalidade de orientar (e se for necessário punir) os condutores de carros e motocicletas, que trafegam colocando as suas vidas e as vidas dos semelhantes em riscos. “Sabemos que não é possível zerar os acidentes de trânsito na cidade, mas podemos buscar alternativas para diminuir”, ressaltou o major Marcelo Oliveira.

Diz que além de campanhas educativas, bloqueios e atuação DET na colocação de placas sinalizadoras em locais de risco, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores de veículos, principalmente os que trafegam com motocicletas, para que respeitem a lei vigente.

“Estatisticamente, o erro humano é responsável por 90% dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia” enumera o major da PM. “Por isso estamos buscando um trabalho preventivo neste final de ano, com o intuito de orientar condutores de veículos para que respeitem as normas da lei vigente”, complementou.