Vereadora quer reduzir cargos comissionados na Barra Bonita

Em sua justificativa a parlamentar alega que Igaraçu do Tietê possui apenas 20 cargos desta natureza e que o atual prefeito prometeu em campanha que iria pagar 100% do benefício

 

Através de Moção de Apelo, a vereadora Christa Pelikan Teixeira (PPS) pede que a Prefeitura de Barra Bonita reduza os cargos comissionados na mesma proporção de municípios da região e destine os recursos para o pagamento do auxílio-transporte. De acordo com a parlamentar, muitos estudantes estão abandonando a faculdade. “O jovem conta com esse dinheiro para continuar os estudos”, explica Christa.

Ainda em sua justificativa, ela alega que Igaraçu do Tietê possui apenas 20 cargos desta natureza e que o atual prefeito prometeu em campanha que iria pagar 100% do benefício. “Mas até o pagamento de 50% não está sendo honrado”. A prefeitura pretende regularizar a situação até o final do mês.

Também é de autoria de Christa Moção de Apelo que solicita a capinação de todas as praças e áreas verdes da cidade, assim como a limpeza de todas as bocas de lobo, com o objetivo de prevenir problemas relacionados à dengue.  duas matérias da vereadora foram aprovadas por unanimidade e encaminhadas ao poder público. 

Despesa

Ainda sobre a Câmara de Barra Bonita vale salientar que o Projeto de Resolução assinado pelos membros da Mesa Diretora estima a receita e fixa a despesa da Câmara Municipal para o exercício de 2016 em R$ 2.9 milhões. A verba será dividida entre o subsídio dos vereadores (R$ 710 mil), obrigações patronais dos vereadores (R$ 150 mil), serviços de terceiros e encargos (R$ 450 mil), aposentados (R$ 70 mil), salário de funcionários e servidores (R$ 780 mil), obrigações patronais dos servidores (R$ 180 mil), material de consumo (R$ 90 mil), obras e instalações (R$ 250 mil), equipamentos e material permanente (R$ 150 mil) e diárias (R$ 70 mil).

O Poder Legislativo ficará autorizado a abrir créditos suplementares até o limite de 20% do valor total. A receita é realizada mediante a transferência feita pelo Executivo na forma de duodécimo mensal. Matéria foi aprovada por unanimidade como objeto de deliberação.