Tribunal de Justiça atesta que João Paulo foi culpado pela própria morte

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) informou esta semana, que manterá a decisão que reconhece o sertanejo José Henrique dos Reis ou João Paulo como era conhecido, culpado da própria morte, em um acidente de carro em 1997. O órgão ainda anunciou a redução da indenização que a BMW terá de pagar à família do músico – a montadora foi reconhecida como parcialmente responsável pela tragédia, segundo o jornal “Folha de S. Paulo”.

“Por entender que houve a culpa concorrente da vítima (por excesso de velocidade e por não utilizar o cinto de segurança), a turma julgadora reduziu em 2/3 as indenizações fixadas”, dizia o comunicado do TJ. No total, a viúva e a filha do artista receberão R$ 100 mil cada por danos morais.

João Paulo, que fazia dupla com Daniel, empresariada pelo botucatuense  Hamilton Régis Policastro,  teve morte trágica em 12 de setembro de 1997, quando voltava para Brotas, onde morava, depois de um show realizado em São Caetano do Sul, dirigindo pela Rodovia dos Bandeirantes. No quilômetro  40,5 em Franco da Rocha, seu carro capotou por várias vezes e o cantor ficou preso às ferragens, não conseguindo sair do veículo, que se incendiou em seguida e morreu carbonizado no auge da carreira.

O enterro foi realizado em sua cidade natal (Brotas), e milhares de pessoas participaram, até duplas sertanejas como Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé di Camargo & Luciano estiveram presentes para despedida, além, é claro do empresário Hamilton Policastro e seu parceiro Daniel.  O cantor sempre falava que era Brotense de nascença e botucatuense de coração. Ele tem em Botucatu bustos em sua homenagem: um em frente ao Terminal Rodoviário e outro na Estância Nathalia.

 

A carreira

João Paulo era filho de Henrique Neri dos Reis e Faraildes dos Reis, teve uma infância humilde e chegou a trabalhar como pedreiro e carpinteiro. Em 1980, junto com Daniel (José Daniel Camillo) começaram a carreira na cidade de Brotas, interior de São Paulo, em busca do sucesso em um segmento que ainda sofria muitos preconceitos. Separadamente, eles já possuíam alguma experiência: João Paulo formava com o irmão Francisco a dupla Neri e Nerinho e Daniel tocava e cantava em rodas de viola e festivais desde os 5 anos.

O curioso da história da dupla é que os dois eram rivais nas apresentações que faziam em circos, praças e festivais. João Paulo cuidava do gado nas fazendas do pai de Daniel enquanto cantava com o irmão. Mas essa dupla não foi muito longe. Logo João Paulo e Daniel estavam cantando juntos, com o objetivo de gravar um disco, o que aconteceu com ajuda de amigos pela gravadora Continental Chanceler. Estava pronto Amor Sempre Amor, lançado em 1985.

A partir daí, a dupla começou uma busca intensa e incessante pelo sucesso, divulgando o trabalho nas rádios e nas cidades do interior paulista. Porém o mercado fonográfico nacional só começou mesmo a aceitar a dupla, que sofreu inclusive o preconceito racial, em 1992.

Em 1996, com o lançamento de João Paulo & Daniel Vol. 7, a dupla finalmente se consagrou. O CD trazia a canção romântica Estou Apaixonado, versão para Estoy Enamorado, de Donato e Estefano, que fez muito sucesso nas emissoras de rádio e na televisão, tendo sido tema da novela Explode Coração, da Rede Globo. Outra canção da dupla entrou na trilha sonora da novela O Rei do Gado, a toada caipira Pirilume.