Tietê está com obras do Emissário da Serra em fase final de conclusão

Prefeito Manoel David explicou que o processo para conseguir os recursos foram burocráticos e o emissário está dando problema há mais de 20 anos

 

As obras de recuperação do emissário do Ribeirão da Serra, na cidade de Tietê,  estão entrando na fase final para  atingir os 1.250 metros de extensão da tubulação e a construção de 16 poços artesianos previstos.  O emissário sofreu rompimento no começo de 2013.

A Prefeitura e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgotos (Samae), buscaram recursos junto aos Governos Estadual e Federal para realizar a obra. No entanto, a ordem de serviço para a obra de recuperação do Emissário pelo Departamento de Água e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE) foi dada apenas em junho de 2015. As obras começaram em seguida e deve ser finalizada antes do prazo previsto em contrato.

“Com o recurso do DAEE, a administração está fazendo uma obra que deve zerar a possibilidade de novos rompimentos no emissário do Ribeirão da Serra. Isso porque os antigos tubos de concreto estão sendo substituídos por tubos revestidos interna e externamente com fibra de vidro. Tal material, ao contrário do concreto, tem maior capacidade de vazão e é resistente aos efeitos dos gases formados na tubulação de esgoto, evitando assim, o fácil rompimento que até então, eram constantes devido ao uso da tubulação inadequada por gestões anteriores”, explicou o diretor de Água e Esgoto do Samae, Emerson Pereira.

A obra está sendo realizada por meio de convênio com o Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE), do Governo do Estado de São Paulo. Ela está orçada em R$ 1,4 milhão e foi financiada pelo programa Água Limpa, do Governo Estadual. A expectativa é que ela seja entregue em 9 meses a contar do seu início, que foi em julho de 2015.

Estação de Esgoto

Paralelamente às obras de recuperação do Emissário do Ribeirão da Serra, está em andamento no Bairro Bonanza, a construção da primeira de duas Estações de Tratamento de Esgotos que foram conquistadas por meio de convênio a fundo perdido com a Funasa.

O recurso de R$11.895.000,00 foi conquistado pela gestão Manoel David & Antônio José Vioto (Frafrá) e ainda contemplará a construção da Estação de Tratamento de Esgotos do Santa Cruz, estações elevatórias e emissário que coletará esgoto domiciliar do Bairro São Roque ao Santa Cruz, com trajeto pelos bairros Moinho Novo, Mandissununga, Altos do Tietê, BNH, São Geraldo, Jardim Bacilli, Zico Pires, Belvedere, Jardim da Serra, Bom Jesus, Vila Justina, Mirante de São Guilherme, Infinito e Seis Irmãos.

“A previsão para término da obra da Funasa é setembro de 2016, ou seja, 12 meses após o seu início, que ocorreu em setembro de 2015. Após a conclusão de tal obra, será possível reativar o represamento do Ribeirão da Serra, devolvendo o Lago da Serra à população tieteense. Paralelamente a isso, o Samae está buscando autorização da Cetesb para reativar o lago”, comentou Emerson Pereira.

O prefeito Manoel David Korn de Carvalho explicou que o processo para conseguir os recursos foram burocráticos. E o Emissário do Ribeirão da Serra está dando problema há mais de 20 anos. “Não é criticar, mas quem passou pela gestão, só arrastou o problema. Agora estamos resolvendo-o definitivamente. Além disso, com a obra da Funasa, vamos chegar a 100% de esgoto domiciliar coletado e tratado”,  prevê Manoel David. “Com certeza, será um grande legado. As verbas demoraram a sair e as obras também, mas a população pode ter certeza de que tudo está sendo bem feito”, complementou o prefeito.