São Manuel recebe evento ligado ao Plano Diretor Participativo

Nos dias 25 e 26 de setembro, especialistas, entre eles integrantes do Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico, ligado a Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, participam de um evento em São Manuel onde serão debatidos três eixos que marcam a Revisão do Plano Diretor do município: Cidade Memória, Cidade Acessível e Cidade Sustentável.

Para a elaboração de cada um deles, diretores municipais, conselhos locais e a equipe responsável pelo projeto construíram formas de participações e de diálogos objetivando delinear um quadro complexo das diretrizes que irão dar suporte para a construção de uma “Nova São Manuel”.

Em um sentido mais amplo, o evento faz parte de uma interlocução com profissionais e especialistas ligados ao Condephaat, sustentado por triplo objetivo: pensar estratégias de preservação a partir da valorização da história cultural da cidade em seu território; dar suporte formativo para o quadro de professores e profissionais locais, como apoio para disseminar formas de prezar a história local; e contribuir para a discussão da gestão e valorização do patrimônio artístico e ambiental, a partir de soluções inéditas para o desenvolvimento sustentável.

“Ao invés de partirmos para uma leitura somente técnica e linear para elaborar um elenco de bens passíveis de tombamento por sua importância individualizada, preferimos discutir o valor histórico de cada um desses edifícios e espaços na própria cidade, estabelecendo um diálogo direto com os próprios atores envolvidos” comenta o professor doutor Adalberto da Silva Retto Junior.

No que tange ao projeto da cidade, o mosaico formado por essa memória fará com que São Manuel, como nas cidades de Ítalo Calvino, discuta o seu patrimônio cultural e o futuro do mesmo, consolidando o que seria essa cidade da memória, formada de retículas invisíveis de relações e de acontecimentos, que transformaram o espaço físico da cidade, seus edifícios, suas praças, seus jardins, suas ruas, vistas a partir das experiências de sociabilidade. Só assim, as pedras, as ruas, os edifícios, jardins, praças, casas, etc., que estão inertes pela ação do tempo, poderão – pela criação desse mosaico de recordações – compor uma grande sinfonia que balizará o projeto da “nova cidade”.

Para o prefeito Marcos Monti a parceria com Grupo de pesquisas SITU – Sistemas Integrados Territoriais e Urbanos da Unesp de Bauru vem para somar com o trabalho proposto para o desenvolvido de São Manuel a médio e longo prazo, “Esse é um trabalho que envolve toda a nossa cidade, a administração pública, os vereadores, entidades de classe, entidades assistenciais e o protagonista maior de tudo isso, a População, o Cidadão São-Manuelense”, disse o prefeito.

Programação completa:

Dia 25/09

14h Recepção, pelas autoridades e Conselho de Patrimônio, dos palestrantes e convidados no Museu Municipal de São Manuel.

14h30 – Percurso no Centro Histórico de São Manuel.

16h – Abertura do Evento: Prefeito, Presidente da Câmara Municipal e Presidente do Conselho Municipal de Patrimônio de São Manuel.

16h15 – Valeria Rossi Domingos – Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH) e Vice-Presidente do Condephaat.

16h30 – “Ferrovias e Cidades: História e Memória da Estrada de Ferro Sorocabana”. Profa. Dra. Ana Luiza Martins – Historiadora FFLCH e Conselheira do Condephaat.

16h45 – “Tombamentos de Conjuntos Urbanos pelo Condephaat: Breve Trajetória e Práticas Atuais”. Arq. José Antônio Zagato – técnico da UPPH do Condephaat.

17h30 – “Patrimônio Rural no Estado de São Paulo e em São Manuel”. MS. Arq. Elizeu Marcos Franco – UPPH do Condephaat.

18h – “A Obra do Engenheiro-arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo (1851-1928) no Contexto da 1ª República”.Prof. Dra. Maria Cristina Wolf de Carvalho – FAAP.

18h30 – “O Arquiteto Paisagista Reynaldo Dierberger e o Processo de Modernização do Interior Paulista”. Prof. Dra. Marta Enokibara – Unesp Bauru.

19:00h – Intervalo para o café.

19:30h – “A criação do Conselho de Patrimônio como Estratégia de Preservação da Cidade de São Manuel e seu Território”. Dr. Valmir Ambrozin – Presidente do CPM de São Manuel.

19:45h – “A trama urbana como estratégia narrativa de recuperação da Memória: entre a Cidade Memória e a Cidade Acessível”. Prof. Dr. Adalberto da Silva Retto Jr – Coordenador científico da Revisão do Plano Diretor Participativo de São Manuel – Unesp Bauru e Conselheiro do Condephaat.

20h15 – “Cidade Memória x Cidade Sustentável”. Eng. Agrônomo Dr. José Marcos Leme – Casa da Agricultura CATI e Prof. Dr. Adalberto da Silva Retto Jr – Unesp Bauru.

Dia 26/09

Percurso nas Fazendas Históricas de São Manuel.

Participantes

Valeria Rossi Domingos. Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH) e Vice-Presidente do Condephaat. Arquiteta pela FAU-Mackenzie, com especialização em Gestão Pública pela Faculdades Integradas Alcântara Machado (FIAM) e Metodologia do Empreendimento pelo Instituto Mauá de Tecnologia. Conselheira do Condephaat desde 2009. Foi Diretora de Engenharia da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS) do Governo do Estado de São Paulo e Diretora do Departamento de Edificações da Cidade de São Paulo.

Ana Luiza Martins. Doutora em História Social pela FFLCH-USP. Foi Diretora do Grupo de Estudos de Bens Materiais e Imateriais da UPPH – Condephaat. Atualmente é Conselheira do Condephaat. Autora de “História do Café”. São Paulo: Contexto, 2008; “Revistas em revista”. São Paulo: Edusp, 2001; “Gabinetes de Leitura”. São Paulo: Edusp, 2015, entre outros.

José Antônio Zagato. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie (2008). Especialista em Economia Urbana e Gestão Pública pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP (2012). Mestrando em Políticas Públicas pela Universidade Federal do ABC. Trabalha desde 2009 como arquiteto na Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH) do Condephaat, realizando pesquisas para o tombamento de Bens como Patrimônio. Possui experiência na análise de projetos para Bens Imóveis considerados Patrimônio Histórico, com estágios na área, em Berlim (2008) e Croácia (2005).

Elizeu Marcos Franco. Arquiteto e Urbanista pela Universidade Mackenzie. Mestre em Habitação pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT-SP). Arquiteto da Unidade de Preservação do Patrimônio Cultural (UPPH) do Condephaat. Representante do IAB/SP no Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Jundiaí (COMPAC).

Maria Cristina Wolff de Carvalho. Graduada no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná (1981). Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo – FAU/USP (1996), sob a orientação do Prof. Carlos A. C. Lemos, com a tese “A Arquitetura de Ramos de Azevedo”. É Professora Titular da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e sócia da Marcos Carrilho Arquitetos. Além do ensino, dedica-se à área de preservação do patrimônio cultural; à musealização de sítios arqueológicos, edifícios e equipamentos de arqueologia industrial; à projetos de museografia e montagem de exposições; à edição de livros e à pesquisa e escrita de ensaios sobre temas da história da arquitetura, dos processos de urbanização e da formação de paisagens culturais. É autora dos livros “Ramos de Azevedo, editado pela EDU-SP em 2000 e “Paraná de Madeira e Igrejas de Madeira do Paraná”; além dos diversos artigos sobre Arquitetura. No ano acadêmico de 2011 – 2012 desenvolveu com Paul Mellon Senior Fellow do Center for Advanced Studies in the Visual Arts – CASVA, da National Gallery of Arts – Washington, D.C., a pesquisa The Landscape of William John Burchell (1781 – 1863). Mais recentemente coordenou a edição de dois números da coleção Paisagens Culturais Brasileiras: “Rumo a Navegantes e Rumo ao Norte do Paraná: fronteiras, fluxos e contatos”. Atualmente coordena o projeto de Recuperação do Museu Rodoviário de Comendador Levy Gasparian, no Rio de Janeiro.

Marta Enokibara. Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1991). Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2003) na área de Estruturas Ambientais Urbanas. Pós-doutoranda em História das Ciências na Casa de Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-RJ). Atualmente é professora assistente doutor do Curso de Pós-Graduação e Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), campus de Bauru. Atua nas áreas de Paisagismo, História do Paisagismo, História da Cidade e do Território e Projeto Urbano.

Valmir Roberto Ambrozin. Advogado, especialista em Direito Previdenciário. Foi Diretor de Cultura do Município de São Manuel (SP), de 1997 a 2000. Membro da Comissão de Cultura e Eventos da OAB/SP de São Manuel e Presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural do Município de São Manuel de 2013 até o presente. Membro do coletivo Mobiliza São Manuel, que tem por objetivo o desenvolvimento da arte e cultura local.

José Marcos Leme. Graduado em Engenharia Agronômica pela Faculdade de Ciências Agronômicas – FCA/Unesp de Botucatu (1998). Mestre e Doutor em Engenharia Agrícola, na Área de Tecnologia Pós-Colheita de Produtos Perecíveis pela Faculdade de Engenharia Agrícola/Unicamp (2004 e 2008, respectivamente). Atualmente é Assistente Agropecuário da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e Chefe da Casa da Agricultura de São Manuel.

Adalberto da Silva Retto Jr. Atua como Professor de Desenho Urbano e História do Urbanismo na Universidade Estadual Paulista Unesp e como Professor Visitante no Master Erasmus Mundus TPTI (Techiniques, Patrimoine, Territoire de l Industrie: Histoire, Valorisation, Didactique) da Universitè Panthéon-Sorbonne Paris I; coordenador do convênio junto à Unesp do Doutorado Interdisciplinar HERITECHS (Heritage, Cultural Economics, Cultural Sustainability and Technology). Possui Pós-doutorado no Doutorado de Excelência do Istituto Universitario di Architettura di Venezia Italia (2007); Doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo e pelo Departamento de História da Arquitetura e Urbanismo do Instituto Universitario di Archititetura di Venezia (2003).