Prefeitura de Macatuba envia ? Câmara projeto do novo cemitério

Prefeito anunciou que negocia com os proprietários a compra de uma área de terra para instalar o novo cemitério municipal, já que o atual tem poucas áreas disponíveis para realizar sepultamentos e se aproxima do seu esgotamento

 

O prefeito de Macatuba,  Tarcisio Abel,  encaminhou esta semana  à Câmara de Vereadores, o projeto de lei que autoriza o município a desapropriar de forma amigável área de terra onde pretende instalar o novo cemitério municipal. Abel se reuniu com os vereadores para expor detalhes do projeto, dar total transparência à iniciativa e pedir tramitação célere.

Compareceram ao encontro os vereadores Carlos Augusto Maganha Vanni, Júlio César Saes, Norberto José Gabani, Ricardo Genovêz, Sebastião Cândido de Moraes, Silvia Cristina Ferreira Pedroso e Wilson Barbirato, que conheceram os detalhes da iniciativa de implantação do novo cemitério municipal e sanaram dúvidas em relação à proposta. Depois, o grupo foi visitar a área escolhida para o investimento. 

“Estamos administrando a Macatuba de hoje e planejando a cidade que queremos ter no futuro. Esta proposta de lei trata de um tema importante para todas as famílias do município não apenas para o nosso tempo, mas também para as gerações que estão por vir”, justificou o prefeito.

Tarcisio Abel anunciou que há vários meses negocia com os proprietários a compra de uma área de terra para instalar o novo cemitério municipal. Segundo ele, o cemitério atual tem poucas áreas disponíveis para realizar sepultamentos e se aproxima do seu esgotamento. “Há muito tempo a população de Macatuba aguarda solução definitiva para esta questão. Avançamos nos estágios para solucionar o problema do esgotamento de áreas no cemitério pelos próximos 100 anos ou mais”, antecipou.

A área sugerida fica próxima e acessível ao perímetro urbano, à 400 metros do asfalto da estrada da Jurema. “São vários fatores positivos nesta aquisição. O valor pago pela terra será estritamente o do mercado imobiliário, apurado por engenheiro credenciado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A terra tem topografia plana, é próxima do perímetro urbano, o acesso é fácil e seguro, pois os cortejos fúnebres não precisarão transpor a rodovia. Teremos uma avenida de acesso com espaço para estacionamento de veículos. Estes e inúmeros outros fatores favorecem a aquisição da propriedade indicada”, colocou o prefeito macatubense.

O projeto de lei autorizando a abertura do processo de desapropriação chega à Câmara de Vereadores com pedido de apreciação em regime de urgência. “Estamos finalizando o ano fiscal e o ano legislativo. Com a matéria aprovada pelos vereadores ainda em 2015, teremos o ano que vem para dar andamento à parte legal e burocrática que a Prefeitura tem que cumprir para adquirir a área. Por isso precisamos e pedimos que o projeto seja votado na Câmara o mais rápido possível”, finalizou Tarcisio Abel.