Prefeitura de Jau prepara adesão ao Programa Frente de Trabalho

A Prefeitura de Jau, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Trabalho, recebeu o secretário adjunto do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo, Eufrozino Pereira. Na visita, o secretário Jorge Luiz Alcalde entregou documentação para que Jaú seja incluída no Programa Frente de Trabalho. O objetivo é fazer um convênio para beneficiar pelo menos 100 desempregados por meio de bolsa-auxílio e cursos de capacitação.

Alcalde diz que por meio do convênio tanto o desempregado como o Município sairão ganhando, uma vez que o bolsista vai desempenhar atividades para a Prefeitura durante quatro dias da semana, tendo um dia para participar de programa de capacitação. "Nós recebemos o secretário que veio acompanhado do diretor regional de Bauru, Sandro Dionísio e nos comunicou que Jaú foi contemplada para o Programa Time do Emprego e brevemente vamos participar desse convênio. Aproveitamos a oportunidade e fizemos o pedido da inclusão da cidade do Programa Frente de Trabalho. Ele levou o ofício do prefeito e mais a documentação necessária para incluir Jaú.”

De acordo com Jorge Alcalde, o secretário adjunto sinalizou de forma positiva quanto à inclusão do Município. “Isso vai ajudar muito não só os trabalhadores desempregos mas o próprio poder executivo. Os desempregados que encaixarem no perfil vão receber uma bolsa e prestar serviço para o Município pelo período estabelecido pelo programa. Em contrapartida, eles participam de programa de reabilitação profissional dirigido pela nossa Secretaria.”

O que é – O programa Frente de Trabalho oferece oportunidade de inclusão social e capacitação para desempregados. O programa ajuda quem está desempregado há mais de um ano, por meio de atividades de seis horas diárias, realizadas durante quatro dias por semana. No quinto dia, o beneficiado faz um curso de qualificação ou alfabetização. Esse vínculo dura nove meses.

O programa proporciona qualificação profissional e renda para cidadãos que estão desempregados e em situação de alta vulnerabilidade social. Isso é feito por meio de atividades como limpeza, conservação e manutenção de órgãos públicos estaduais e municipais. A participação no programa não representa vínculo empregatício, já que tem caráter assistencial e de formação profissional.