Pardinho entra na “briga” para ser município turístico

Foto – Divulgação

 

O governo do Estado de SP sancionou uma lei que abrirá 140 vagas para municípios de interesse turístico e Pardinho está trabalhando para ser indicada. A classificação traz para o município um recurso anual de R$ 500 mil por três anos para ser aplicado no turismo.

Ana Silvia Frutuoso Costa, diretora executiva do Conselho de Turismo de Pardinho,  diz que para o município, com pouco mais de seis mil habitantes, significa uma verdadeira transformação na infra- estrutura e qualificação na cidade,  aumento de empregos e conseqüentemente do poder aquisitivo e qualidade de vida. 

Cita que os atrativos são naturais como a vista do Gigante Adormecido e seu complexo de 19 trilhas radicais apreciado por caminhantes, ciclistas e motoqueiros, suas cachoeiras radicais de 50m de queda,  intensa vida cultural com eventos todos os finais de semana no Centro Cultural Max Feffer e as festas tradicionais que preservam a cultura local, na Praça da Matriz.

“A cidade com recursos para aplicar no seu plano de desenvolvimentos sustentável, ecológico, solidário e empreendedor teria a possibilidade de tornar- se referência na cultura caipira, na sustentação da agricultura familiar e na preservação ambiental”, ressalta Ana Costa.

Enfatiza que para preparar a indicação,  o município trouxe Aristides de La Plata, presidente da SKAL Internacional de SP e integrante da Escola da UVESP – União dos Vereadores para conhecer os atrativos e empresários e avaliar o potencial turístico visitando os principais pontos e apresentando as diretrizes básicas para esta indicação para a região.

“No turismo não há como deixar de pensar em termos regionais e fazendo parte do Pólo Turístico da Cuesta o foco é desenvolvimento da região. Que por suas características: nascentes, cachoeiras, área de recarga do aqüífero Guarani e APA não tem como desenvolver-se sem pensar ser sustentável e ecológico garantindo este patrimônio que muitas outras cidades já perderam e lutam para reconstruir”, frisa a diretora. 

 “Para preservar é preciso conhecer e planejar neste sentido serão realizadas várias ações para aproximar os diferentes segmentos e a população fundamentais para o desenvolvimento destes objetivos”, acrescenta Ana Costa, lembrando que os pontos visitados foram:  Fazenda do Bambu, Sitio Paraisinho, Café da Serra, Camponesa, Vista do Gigante Adormecido, Portal do Salandim, Buggy da Cuesta, Venda Vivan, Restaurante Paineira Velha, Recanto Caipira, Centro Max Feffer.