Dupla é presa em Itatinga por corrupção e contrabando

Durante fiscalização pela SP-280, Rodovia Castello Branco, na altura do km 208, em Itatinga, os policiais militares rodoviários do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) abordaram o condutor de uma carreta com placas de Dourados/MS e este apresentou certo nervosismo ao ser questionado. Quanto a carga que transportava, alegou tratar-se de “caroço de algodão”, apresentando aos policiais uma nota fiscal com indícios de falsidade, momento em que os policiais vistoriaram o veículo e localizaram grande quantidade de caixas de cigarro oriundos do Paraguai.

Foi dada voz de prisão a Wilson José Soares, de 58 anos, por contrabando dos cigarros e uso de documento falso, devido a nota fiscal apresentada, momento em que o preso prometeu à  equipe a possibilidade de oferecer quantia em dinheiro para ser liberado, porém deveriam se deslocar para outro lugar que não fosse a praça de pedágio onde estavam, devido a aglomeração de pessoas. 

Diante da possibilidade de se confirmar a participação de terceiros na conduta criminosa, os policiais se deslocaram em local indicado pelo preso, qual seja um restaurante pouco movimentado, comum em parada de caminhoneiros para refeição na mesma rodovia, no km 198, já no município de Pardinho, sendo que após algum tempo, veio ao encontro da equipe, à pé, o indivíduo identificado como Reinaldo Ferreira, também de 58 anos e passou a comentar sobre o caminhão com cigarro e efetivamente apresentou a R$ 5.500,00 dizendo que “não era muito, mas dava pra fazer o churrasco do final de semana”.

Ele também recebeu voz de prisão por corrupção ativa e ao ser realizada busca pessoal no preso, os policiais localizaram em um de seus bolsos, uma chave de ignição de caminhão e ao ser questionado, após várias versões contraditórias, acabou por confessar que também conduzia uma “carreta” com cigarros e que este veículo estaria estacionado num posto de combustíveis no final da rodovia Castello Branco.

Os policiais militares rodoviários passaram a diligenciar a região e localizaram o segundo caminhão estacionado no posto de combustível no km 265 da SP-280, município de Cerqueira Cesar, sendo que foram localizadas no semireboque grande quantidade de caixas de cigarro.

A equipe TOR encaminhou os presos, os veículos com toda a carga de cigarros, dinheiro, cinco telefones celulares, duas notas fiscais falsas até a Delegacia de Polícia Federal de Bauru, onde foi elaborado o flagrante por contrabando (Artigo 334-A do Código Penal), uso de documento falso (Artigo 304) e corrupção ativa (Artigo 333). Os presos foram encaminhados à Cadeia Pública de Avaí, sendo que o preso Wilson possuía antecedentes por contrabando e o preso Reinaldo possuía antecedente criminal por porte Ilegal de arma.

Ao todo, foram apreendidas 1.600 caixas de cigarros, sendo que em cada caixa há 50 pacotes com 10 maços de cigarros, totalizando então cerca de 800.000 maços ou ainda, 16.000.000 de cigarros, além dos caminhões e seus semirreboques, telefones celulares, notas fiscais e os R$ 5.500,00 que os presos ofereceram aos policiais.