Vila Maria prepara a 5ª Safrinha de São João

O padre Orestes Gomes, responsável pela Igreja Nossa Senhora Menina, na Vila Maria, depois de promover a 12ª Festa do Milho, em quatro finais de semana no mês de março, que atraiu milhares de pessoas de Botucatu e região, coordena entre os dias 21 e 22 de junho (sábado e domingo) a 5ª edição da “Festa do Milho – “Safrinha de São João”. A festa acontece no pátio da igreja.

A festa segue os mesmos moldes da Festa do Milho e das outras quatro safrinhas já realizadas, oferecendo produtos derivados do milho como: curau, pamonha, bolo, sorvete, pão, pastel, pizza, milho assado, milho cozido, sopa, entre outros. “Nós quando fizemos a colheita do milho utilizados na festa de março, reservamos um espaço onde plantamos milho para ser colhido fora da época, no mês de junho”, explica o sacerdote.

Para realizar a 5ª Safrinha Orestes já está mobilizando pessoas voluntárias da comunidade da Vila Maria para trabalhar nas barracas e na confecção dos produtos para a venda. “São pessoas abnegadas que nos ajudam e sem elas nossas festas inexistiriam. Por causa dessa colaboração é que conseguimos realizar eventos como este”, elogiou.

“Quem vier prestigiar a festa, não vai se arrepender”, observou o sacerdote, lembrando que na Festa do Milho 2014 foram consumidas mais de 40 toneladas do produto nos dias de festa. “Nossa meta é consumir 15 toneladas nos dois dias da Safrinha e fabricamos os produtos aqui mesmo no pátio da igreja e todos os visitantes podem acompanhar de perto como (os produtos) são feitos e embalados. Temos aqui curau, pamonha, bolo, sorvete, suco, pão, pastel, pizza, milho assado, milho cozido, sopa, entre outros. Os visitantes têm um espaço de mais de 1.800 metros de área coberta para confraternizar com a família”, completa.
 

Com isso, mais uma vez, o pátio de igreja Nossa Senhora Menina vai se transformar numa verdadeira linha de produção. Um grupo seleciona e colhe o milho, outro faz o transporte até o pátio da igreja, onde as espigas são descascadas e selecionadas, antes de serem encaminhadas aos outros setores da “empresa“, para que os produtos sejam feitos. Uma parte vai para o cozimento, outra para a trituração. No último estágio da produção tudo é embalado e encaminhado para as barracas específicas onde os produtos são vendidos aos consumidores.