Vereadores fazem manifesto em favor a Embraer

Os vereadores de Botucatu Abelardo Wanderlino da Costa Neto (PSD) e Nilton César Andrade, professor Nenê (PT), participaram de uma reunião na Cidade de Gavião Peixoto, para discutir o embargo dos Estados Unidos com relação a uma licitação de vendas de 20 aviões A-29 Super Tucanos.

Esse contrato, primeiro da empresa brasileira com o Ministério da Defesa americano, foi anunciado no dia 30 de dezembro, mas foi questionada na Justiça pela concorrente, a Hawker Beechcraft (HB). A HB entrou com ação em um tribunal federal pedindo suspensão temporária na execução do contrato, argumentando ter sido excluída de maneira injusta da licitação. A Força Aérea suspendeu o contrato em fevereiro deste ano enquanto o juiz examina o caso.

O valor do negócio é de US$ 355 milhões, o que inclui o fornecimento das aeronaves e do pacote de serviços, como treinamento de mecânicos. Mas há a expectativa de vender mais 35 aviões, o que elevaria o contrato ? cifra de US$ 950 milhões.

Além dos vereadores botucatuenses compareceram a esta reunião representantes das Câmaras Municipais de outros municípios onde a empresa possui filiais como: Araraquara, Gavião Peixoto e São José dos Campos. Na reunião foi apontado que o Brasil não se manifestou de forma dura contra o embargo dos EUA ? Embraer e a suspensão da licitação vencida pela empresa não suscitou as reações necessárias para combatê-la, nem foi construído, no país, um documento oficial que repudie a ação norte-americana.

Para os vereadores esse embargo ? Embraer pode gerar crise nas cidades que a abrigam, bem como nos municípios adjacentes. “Muitos postos de trabalho deixarão de ser criados e haverá menos faturamento para a empresa e, consequentemente, para os municípios que terão menos dinheiro para investir”, observou Abelardo. “Os reflexos dessa crise poderão ser sentidos de forma mais aguda daqui a dois anos”, prevê.

Foi definido que será construído um documento para encaminhar para as instâncias do poder público estadual e federal, pedindo para que estas se posicionem de forma mais contundente contra o embargo dos EUA ? Embraer. “Cada vereador mobilizará as assinaturas nas câmaras de suas cidades e nas cidades vizinhas. O documento conterá as considerações dos efeitos do embargo nas cidades que abrigam a empresa e nas cidades adjacentes”, frisou o professor Nenê.

Os vereadores agora pretendem mobilizar as Câmaras e lideranças das cidades de cada região para evitar que haja demissão de funcionários em massa, embora a empresa, através da assessoria de imprensa de sua matriz em São José dos Campos, tenha afirmado que não existe programa de demissão na empresa, ocasionada pelo cancelamento dessa licitação.