Tragédia em boate gaúcha causa comoção no Brasil

Fotos: Divulgação

Botucatu foi uma das centenas de milhares de cidades brasileiras que acompanhou por rádio, televisão ou internet a tragédia que assolou a Cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na Boate Kiss e que deixou 233 mortos, sendo 120 homens e 113 mulheres, na faixa etária compreendida entre 16 a 20 anos, e mais de 130 feridos. A tragédia de Santa Maria repercutiu em todo mundo enquanto e os principais sites do Brasil mostram o resgate dos corpos em tempo real.

O incêndio começou por volta das 2h30 da madrugada desse domingo (27) e havia no interior da boate cerca de mil pessoas. Testemunhas afirmaram que o fogo começou durante show pirotécnico quando uma banda se apresentava e soltou um sinalizador no palco. O material de isolamento acústico do teto prédio – feito de espuma – incendiou e o fogo se propagou rapidamente. A fumaça teria matado 90% das vítimas por intoxicação.

A boate realizava uma festa que tinha como vendedores de ingressos alunos de várias turmas da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) já que a cidade de Santa Maria é uma cidade universitária (conta com outra sete universidades) e a boate realizava várias festas para arrecadação de recursos para formatura de turmas.

Segundo relatos das autoridades locais, dados ao Portal Terra, um segurança que trabalhava no local no momento do incêndio afirmou que muitas pessoas foram pisoteadas. “Na hora que o fogo começou, foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando fugir”, contou.

Os primeiros atendimentos ? s vítimas foram dados no estacionamento de um supermercado ao lado da boate, que fica no centro da cidade. Homens com picaretas ajudaram a quebrar as paredes para ter acesso ao local e resgatar as vítimas. Os corpos foram conduzidos ao ginásio do Centro Desportivo Municipal para fazer cadastro e reconhecimento.

A delegada Luíza Sousa, da 2ª Delegacia de Polícia Civil, disse que acontecia um show de uma banda gaúcha quando um dos integrantes soltou um sinalizador dentro do local. Disse que um dos fatores para o agravamento da tragédia é que havia um grande número de carros estacionados na porta do estabelecimento, o que impediu a saída das pessoas. “Vamos abrir o inquérito policial para descobrir a situação da boate e como tudo isso aconteceu”.