Terapeuta traz cursos que integram artes corporais

Fotos: Luiz Fernando

 

O professor e terapeuta holístico Rui Hamai, traz para Botucatu o taichyodadance, que é uma integração das artes corporais: Tai Chi Chuan (TCC), Yoga e Danças Circulares, visando a promoção da saúde holística plena. Curso é direcionado a todas as pessoas interessadas em melhorar a saúde física, emocional, mental e espiritual e de mantê-la em bom estado. O público alvo são pessoas interessadas em melhorar a saúde física, emocional, mental e espiritual. 

Segundo Hamai, as artes corporais possuem os mesmos princípios norteadores: exercitar o corpo como unidade física-emocional-mental-espiritual. Tanto que o TCC é também conhecido como ioga taoísta ou um dos iogas chineses.

“As danças circulares também incluem os mesmos princípios norteadores, mas já vão mais além: há um forte aspecto social, pois é uma prática essencialmente de grupo, e que na maior parte do tempo, todos os participantes de mãos dadas, formam um círculo – onde fica evidente o exercício de algumas virtudes ou competências: união, integração, solidariedade, inclusão, fraternidade”, disse o professor. “E há, ainda, a considerar a mais intensa troca de energias benéficas, proporcionada pelo contato direto – principalmente pela geração espontânea da energia da alegria (o que muito raramente acontece em outras práticas)”, acrescenta.

Assim, prossegue Hamai, a integração dessas três artes corporais permite um trabalho do ser humano bem completo. “Ainda mais, como é nosso propósito como facilitadores, destacar o processo psicossomático e o exercitar a Lei Natural da Atração, ou da causa-efeito/consequência – isto é, lembrando, expondo e incentivando o aprimoramento das virtudes, tais como: responsabilidade pela própria saúde, disciplina, paciência, força de vontade, determinação, persistência, auto-estima, autoconfiança, etc. – essencial para alcançarmos o perfeito bem estar bio psico-social”,  explica.

 

Diz o professor que o curso é uma das poucas atividades grupais em que se podem misturar pessoas de várias faixas etárias, desde crianças até  a terceira idade. “Não há necessidade de vestuário específico, nem equipamentos especiais (apenas uma aparelho de som), nem um espaço sofisticado, o que resulta em um índice custo/benefício excelente”, frisa.