Sessão solene marca os 100 anos da Missão Marcelina

Neste final de semana, dias 16, 17 e 18 (sexta-feira, sábado e domingo), o Colégio Santa Marcelina de Botucatu realizou um série de atividades, para comemorar o “Centenário da Missão Marcelina no Brasil”, que teve sua pedra fundamental lançada em Botucatu, Cidade escolhida pelas irmãs vindas da Itália em 1912 para a fundação da primeira escola que ao longo dos anos se espalhou para diferentes regiões brasileiras.

A abertura oficial das comemorações aconteceu na noite de sexta-feira em sessão solene que contou com a presença de dezenas de autoridades civis e eclesiásticas. Na oportunidade foi lançado, pelos Correios, o selo personalizado dos “100 anos do Colégio Santa Marcelina de Botucatu” e o carimbo comemorativo dos “100 anos da Missão Marcelina no Brasil”. Além disso, foi distribuído aos presentes o livro alusivo a data e um chaveiro.

Além de autoridades civis como o prefeito João Cury Neto e o deputado federal Milton Monti, estiveram presentes mais de 350 pessoas, entre religiosas das casas marcelinas e leigos, vindos da Itália, Canadá, México, Albânia, além do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Muriaé, Piraí do Sul, Cascavel, Rondônia e São Paulo. A solenidade contou com a participação do Coral Santa Marcelina, que esteve acompanhado de 20 músicos da Orquestra Sinfônica de Tatuí, e da Professora Maria Helena Blasi Trevisani, da escola de música Santa Marcelina, com um número ao piano.

As festividades continuaram no sábado (17) ? s 10 horas na Catedral Metropolitana de Botucatu, com um missa solene, celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo. A missa, aberta a toda população, também foi abrilhantada pelo Coral Santa Marcelina acompanhado da Orquestra Sinfônica de Tatuí.

Ainda no sábado, as religiosas visitaram a Obra Assistencial Madre Marina Videmari, instalada na região do Parque Imperial, na periferia da Cidade e que é mantida pelas irmãs marcelinas e ? noite, no Teatro Municipal Camilo Fernandes Dinucci, ? s 20h30, uma peça teatral encenou a história da chegada das irmãs marcelinas ao Brasil e em Botucatu. A peça intitulada “Colégio dos Anjos” baseou-se no diário de bordo de uma das irmãs que pertencia ao grupo vindo da Itália.

Já no domingo, ? s 9h30, houve a inauguração do monumento e da placa comemorativa aos 100 anos. A inauguração contou com a participação Banda do Colégio Santa Marcelina. Dentro desse monumento foi guardada uma “cápsula do tempo”, que contou com a assinatura de todos os alunos de 2012, professores, funcionários e irmãs do Colégio de Botucatu.

Além disso, todas as irmãs visitantes e todos aqueles que participaram de alguma das atividades do final de semana, inclusive do domingo pela manhã, assinaram o livro que será guardado “ad aeternum”. Um fato curioso é que aqueles alunos do Santa Marcelina de 2012 que ainda não sabem escrever, pertencentes ao mini-maternal e maternal, deixaram as digitais registradas dentro da “cápsula do tempo”.

E as comemorações prosseguem no mês de abril quando o colégio realizará uma comemoração especial aos professores e funcionários de ontem e hoje. No mês de junho haverá uma peregrinação ? Aparecida do Norte, em agradecimento e fé. Em setembro, a grande festa dos ex-alunos e famílias botucatuenses que fizeram a história do Colégio de Botucatu. Em novembro, encerrando o ano comemorativo, é a festa dos alunos, que receberão estudantes de todos os colégios do Brasil para quatro dias de esporte e cultura.

Por: Quico Cuter
Fotos: David Devidé