SENAI de Botucatu apresenta projeto arrojado no NatalTec 2010

Das 89 escolas SENAI de São Paulo, 20 delas foram classificadas para participar do NatalTec 2010, que é um concurso que mostra as inovações tecnológicas que são criadas em cada escola e os projetos mais interessantes e criativos passam por uma pré-seleção para concorrer ao melhor projeto de 2010. O evento acontece na Avenida Paulista, nº 1313, em São Paulo, entre os dias 6 a 16 de dezembro, período em que os projetos classificados ficam expostos e passam por uma avaliação técnica.

Entre essas 20 cidades classificadas, destacou-se o SENAI de Botucatu, que criou um projeto bastante interessante denominado “Distribuidor de Presente Sonorizado”. O projeto foi desenvolvido pelos instrutores de Desenhos e Projetos, Valmir Meneguin, Ricardo Miranda de Almeida e Vagno Orsi. Também participou o instrutor de Elétrica e Eletrônica, Marcelo Vigliazi.

O projeto botucatuense, que funciona com válvulas pneumáticas, realiza a distribuição de presentes (caracterizadas por pequenas bolas) em duas casas, paralelamente. Esse movimento é acompanhado pela música natalina “Noite Feliz”, som extraído de um sistema composto por nove válvulas. Para que se entenda melhor o projeto o Jornal Acontece produziu um vídeo com o projeto em pleno funcionamento (abaixo).

De acordo com o instrutor do SENAI, Valmir Meneguin, o projeto vem sendo desenvolvido há, aproximadamente, seis meses para ser apresentado no NatalTec. A música foi gravada em PLC – Programa Lógico de Computação, pela flautista Rebeca Meneguin. O computador lê a partitura musical e distribui as notas para as válvulas pneumáticas, transformando (as notas) em movimentos mecânicos, produzindo o mesmo som do instrumento musical.

“Podemos chamar esse processo de inteligência artificial”, diz Meneguin. “Quando pensamos em desenvolver um projeto para o NatalTec, a idéia foi produzir algo sonorizado, diferente. Surgiu a idéia de fazer um sistema pneumático que conseguisse reproduzir uma música. Escolhemos Noite Feliz, que é conhecida mundialmente, gravamos no computador e passamos as notas para o sistema pneumático, buscando chegar o mais próximo possível da gravação original”, observou o instrutor do SENAI.

Sobre sua expectativa no concurso, Meneguin é taxativo. “É um projeto interessante e inédito. Então, nossa expectativa é muito positiva. Ainda não conhecemos os demais projetos que estarão expostos em São Paulo, mas estamos acreditando que o de Botucatu ficará entre os primeiros colocados”, prevê o instrutor.

Fotos: Valéria Cuter