Rio Bonito está sendo usado como “desova” de cães

O aparecimento de cachorros de diferentes espécies na região do Rio Bonito Campo e Náutica tem causado alarde nos moradores, que afirmam que pessoas estão usando a localidade para fazer a “desova” dos cães. Segundo eles (moradores), é fator comum motoristas pararem os carros na entrada do Rio Bonito e soltarem cães e depois irem embora deixando os animais perdidos em via pública.

Entre os animais soltos estão cadelas no cio, que ocasionam muitas brigas dos cães em busca do acasalamento. Em outros casos, estes mais graves ainda, os animais soltos estão, visivelmente, doentes, carregando vírus e bactérias. Os que estão mais debilitados acabam morrendo, por falta de medicamentos, alimentação e água.

A moradora Solange Aparecida Marques revela que a situação está fugindo do controle. “É uma judiação o que os proprietários dos cães estão fazendo. Eles abandonam aqui os animais doentes, filhotes com dias de vida ou cadelas no cio. Ainda existem aqueles que depositam cachorros mortos em terrenos baldios. Muitos cães soltos acabam morrendo e os moradores têm que enterrar para evitar que o mau cheiro penetre nas casas”, reclamou Marques. “Também estão soltando gatos por aqui, mas a soltura de cachorros é mais grave”, emenda.

O coordenador da Defesa Civil do Município, Domingos Chavari Neto, esteve no local para se certificar da situação e tentar encontrar uma solução para minimizar esse problema que está sendo vivido pelos moradores daquela localidade. “É uma situação típica da falta de cidadania e irresponsabilidade de algumas pessoas que buscam passar seus problemas para seus semelhantes. Estivemos no local conhecendo esse problema e vamos ver o que poderá ser feito”, colocou Chavari.

Ele adiantou que já comunicou essa grave situação do Rio Bonito a entidades como a Guarda Civil Municipal (GCM), Polícia Militar Ambiental, Vigilância Sanitária, Setor de Zoonoses e Associação de Proteção aos Animais (APA), para que seja encontrada uma solução. “O que não pode continuar acontecendo é o moradores do Rio Bonito, assim como visitantes e turistas que vão para o local para passar suas horas de lazer, continuar convivendo com este problema, que é de Saúde Pública”, alertou Chavari.

{n}Castração{/n}

A voluntária da APA, Maria Isabel Torres Santos revela que a solução para minimizar o problema de abandono de animais é a castração. “Infelizmente, convivemos com uma situação que chamamos de posse responsável. Não é raro o proprietário adotar um animal e depois querer se desfazer dele, principalmente, a cadela que entra no cio e procria. Então, a solução é a castração. No ano passado fizemos 2.729 castrações de animais e hoje, a média é de oito a dez por dia. Porém, é necessário que a pessoa interessada procure a APA (9701-2088) para que a castração seja agendada”, orienta a voluntária. A entidade realiza todos os sábados, das 10 ? s 12 horas, na Praça do Bosque, a Feira da Adoção, onde cães já castrados podem ser adotados.

Maria Isabel argumenta que o caso do Rio Bonito não é isolado. “Em outras regiões rurais do Município vivemos problema semelhante. É o que eu já disse sobre a posse responsável. Essas pessoas querem se livrar dos animais e procuram esses lugares mais afastados para abandoná-los á própria sorte. Infelizmente, muitos acabam morrendo. Por isso, é necessário fazer o controle dos nascimentos com a castração”, ensina. “Por outro lado quando uma pessoa observar um animal debilitado abandonado deve acionar o Setor de Zoonoses (150) para que as providências sejam tomadas”, complementa a voluntária da APA.