Renner paga multa e se livra da prisão por acidente de carro

Fotos: Reprodução

O cantor Ivair dos Reis Gonçalves, conhecido artisticamente como Renner e faz dupla sertaneja com Rick e por muitos anos fez parte do “cast” de artistas contratados do empresário botucatuense Hamilton Régis Policastro, da HRP Promoções Artísticas, aceitou pagar uma multa de R$ 244 mil estipuladas pela Justiça e prestar serviços comunitários para se livrar de uma pena de três anos e seis meses de detenção pelo envolvimento dele em um acidente de trânsito que matou duas pessoas, em Santa Bárbara d’Oeste.

O cantor que passou grande parte de sua carreira artística em Botucatu pediu para que o valor fosse parcelado para que tivesse condições de efetuar o pagamento. Na ocasião do acidente Renner foi assistido pelo advogado botucatuense José Roberto Pereira e tinha um relacionamento com a apresentadora Amanda Françoso.

A condenação de homicídio culposo (sem intenção de matar) constará na ficha criminal do cantor. A sanção financeira será destinada para entidades públicas ou privadas, preferencialmente de educação para o trânsito ou atendimento a vítimas de trânsito, a critério da Vara de Execuções Criminais.

Apesar de a sentença ter saído em 2007, o parceiro de Rick ainda não tinha se apresentado ? Justiça para dizer se aceitava ou não pagar a multa. O prazo iria expirar no final do mês. Se não comparecesse ao Judiciário, o músico seria considerado foragido. Anteriormente, Renner havia sido condenado a três anos e meio de prisão por dirigir em alta velocidade. No entanto, a pena foi convertida em 360 salários mínimos e ? prestação do trabalho voluntário.

O acidente aconteceu em 20 de agosto de 2001, na altura do km 144 da rodovia Estadual Luís de Queirós que liga Piracicaba a São Paulo. Segundo dados da Polícia Rodoviária Estadual, o carro dirigido pelo cantor, uma BMW 328 preta, fez uma ultrapassagem quando o cantor perdeu o controle, atravessou o canteiro central da pista e bateu em uma moto Honda NX que vinha no sentido oposto, matando duas pessoas. As vítimas foram o engenheiro químico Luís Antônio Nunes Acetto, 35, de Campinas, e a namorada dele, Eveline Soares Rossi, 31, de Piracicaba.

No inquérito consta que um caminhoneiro declarou ter sido ultrapassado pela BMW dirigida por Renner em velocidade acima do limite. A testemunha disse que o carro de Renner deveria estar andando a 160 km/h, baseado na velocidade em que dirigia seu caminhão quando foi ultrapassado.