Prolongamento da Vital Brasil pode ser solução para o trânsito

Um dos problemas mais complicados e de difícil solução e que faz parte do cotidiano da cidade nos últimos anos é relacionado ao trânsito.

Estatisticamente, Botucatu tem um veículo para cada dois habitantes. Se levarmos em conta que Botucatu tem aproximadamente 120 mil habitantes, a cidade conta hoje com 60 mil veículos circulando pela cidade, sem contar os veículos flutuantes, aqueles que passam pela cidade.

O diretor do Departamento de Engenharia e Tráfego (DET) da Prefeitura Municipal de Botucatu, engenheiro Vicente Ferraudo, está procurando alternativas para tentar atenuar esse problema na cidade. O ideal seria a construção das Avenidas Marginais dos ribeirões Tanquinho e Lavapés, mas são obras, atualmente, inviáveis, em razão do alto custo.

Uma solução encontrada por Ferraudo está no prolongamento da Avenida Vital Brasil, que seria interligada com um viaduto que ligaria o Jardim Cristina com o Jardim Paraíso, obra que está programada para ser construída em uma área que pertencia ? Rede Ferroviária Federal (RFF), na Vila Ema, que agora pertence ao município, fruto de um trabalho do prefeito João Cury, junto a autoridades federais.

“Este é um projeto do prefeito e já tem uma diretriz, através da Secretaria de Planejamento. Temos o traçado dessa nova avenida, permitindo que o trânsito possa ter esse escoamento. O mais importante é que a área onde seria feito essa reformulação no transito pertence a prefeitura e não necessitaria de fazer grandes desapropriações, como seria necessário, caso fossem feitas as avenidas marginais”, revela Ferraudo.

Outro passo importante, prossegue o engenheiro, foi o Executivo ter conseguido através de uma emenda parlamentar no Congresso Nacional, a verba de R$ 500 mil para ser investido nessa obra. “Mesmo assim, será necessário buscar mais recursos para custear a complexidade total dessa obra. Uma coisa é o projeto estar pronto e o prefeito ter vontade de fazer. Outra é conseguir recursos necessários para fazer todo o trabalho estrutural que a obra exige”, compara.

“Mas temos que começar a fazer isso, vislumbrar a idéia da gente ter um escoamento alternativo e viável do trânsito na cidade e poderemos começar isso com o viaduto que ligaria dois extremos da cidade (Jardim Cristina/Paraíso). Não tenho dúvida de que a Avenida Vital Brasil, além de se transformar em uma corredor do trânsito, será o principal elo de ligação da Rodovia Marechal Rondon até o Lageado”, concluiu Ferraudo.