Projovem encaminha jovens ao mercado de trabalho

A Prefeitura de Botucatu, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, promoveu a formatura da primeira turma do programa “Projovem Adolescente”, executado ao longo de 2011. O mais expressivo é que dos 86 adolescentes que receberam seus certificados de conclusão do ciclo 1 do programa, 38% deles que antes estavam desempregados agora estão no mercado de trabalho.

Uma delas é Maiara Guedes de Assis, que mora no Jardim Monte Mor, um dos bairros mais carentes da região Norte, mas que hoje tem uma nova perspectiva de vida. “Entrei no Projovem por sugestão de amigos. Gostei muito porque aprendi muita coisa e minha vida mudou totalmente. Antes eu era muito nervosa, não sabia me expressar muito bem. Hoje aprendi que não posso deixar as oportunidades passarem”, afirma.

Em Botucatu, as atividades do primeiro ciclo do programa foram realizadas nos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) das regiões Leste, Oeste, Norte e Sul, priorizando os eixos temáticos “Convivência Social” e “Participação Cidadã”. A Secretaria Municipal de Assistência Social também firmou contrato com o Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), que através do eixo temático “Mundo do Trabalho”, desenvolveu atividades complementares com os jovens. “O curso observa tendências, quais as áreas de interesse desses jovens, e trabalha pontos como ética, profissionalização, empreendedorismo, ações sociais, que preparam o jovem para o mercado”, comenta Diogo Teixeira, gerente do Senac.

Neste ano, a mesma turma de jovens executa o segundo ciclo do programa, que envolve intervenções sociais. “Eles agora atuam como agentes multiplicadores dos conceitos que aprenderam no Projovem junto a adolescentes nas regiões onde moram, abordando temas como bullyng, diversidade sexual, meio ambiente, prevenção ao uso de drogas, entre outros”, diz Luciana Machado, coordenadora do Cras Norte.

Maria Della Coletta, secretária municipal de Assistência Social, se emocionou na formatura do Projovem, enaltecendo o conceito do projeto. “Ele trabalha o desenvolvimento pessoal do jovem que está em vulnerabilidade social, para que ele se afaste ainda mais das más influências e se torne um cidadão de verdade, podendo enxergar novas oportunidades em sua vida. E o que percebemos é que estes jovens estão se transformando, para melhor”, coloca.

Presente também na cerimônia, o prefeito de Botucatu, João Cury Neto, ressaltou que o dinheiro investido diretamente nas pessoas, principalmente nos jovens, é o mais bem empregado por todo Poder Público e que esta camada da população também clama por atenção. “A juventude quer, pode e deve participar das grandes decisões. Por isso criamos o OP Jovem e foi o sucesso que foi. Além disso, estes jovens querem ver o recurso público revertido para eles e ter mais oportunidades no mercado de trabalho”, diz.

{n}Sobre o Projovem{/n}

O público do Projovem Adolescente é constituído por jovens entre 15 e 17 anos, pertencentes ? s famílias atendidas pela Proteção Social Básica ou pela Proteção Social Especial (Conselho Tutelar, serviço de acolhimento institucional, medidas socioeducativas, entre outros serviços).

A proposta visa complementar a proteção social básica, criando mecanismos para garantir o direito ? convivência familiar e comunitária e criar condições para a inserção e permanência do jovem no sistema de ensino. Por meio de atividades socioeducativas, o programa promove a inclusão de jovens, qualificando e valorizando a sua participação social.

O Projovem Adolescente integra a Política Nacional de Assistência Social, política pública de proteção social de caráter universalizante, que se materializa por meio do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).