Projeto vai a escolas públicas falar sobre zoonoses

No dia 30 de setembro, a escola Dom Lucio Antunes de Souza recebeu um grupo de universitários da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMZV) da Unesp, câmpus de Botucatu, para o primeiro evento da edição de 2014 do projeto de extensão “Educação em Saúde: o papel do Médico Veterinário no Controle do Zoonoses”.

Realizado há mais de 10 anos, sob a coordenação do professor Hélio Langoni, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, com apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da Unesp (Proex) e da direção da FMVZ, o projeto leva as principais informações sobre a ocorrência de zoonoses para os estudantes da rede pública de ensino. O objetivo é proporcionar ao público um conhecimento básico das medidas que devem ser tomadas para evitar a ocorrência das doenças nos animais e nos seres humanos.

O trabalho envolve os alunos do 4º ano do curso de graduação em Medicina Veterinária da FMVZ que cursam a disciplina “Zoonoses”. Neste ano, a equipe de trabalho foi formada por um grupo de nove alunos voluntários e dois bolsistas da Proex, com apoio dos residentes da área de zoonoses e saúde pública. Antes de iniciar o giro pelas escolas, os futuros veterinários recebem um treinamento específico, com o conteúdo técnico de zoonoses como raiva, leptospirose, leishmaniose, toxoplasmose, entre outras.

Como o curso de Medicina Veterinária é integral, as visitas às escolas acontecem no período noturno. Até o final do ano, mais oito escolas deverão ser visitadas pela equipa da FMVZ. O projeto exige comprometimento e dedicação dos alunos, ressalta o professor Langoni. “Em troca, eles têm a oportunidade de vivenciar uma realidade diferente e de transmitir para a sociedade os conhecimentos que estão adquirindo durante a graduação”.

Segundo o professor, o 4º ano é um período ideal da graduação para a realização desse tipo de atividade.  “São alunos que já têm um certo grau de maturidade e já estudaram patologia clínica, enfermidades infecciosas, imunologia e microbiologia.  Ao falar para um público leigo, eles sentem a importância dessa formação multidisciplinar e podem avaliar a importância do profissional de medicina veterinária nas atividades de prevenção”.

Participante do projeto no ano passado como bolsista da Proex, Maurício Gianfrancesco Filippi gostou da experiência. “Achei importante ter participado do projeto porque ajuda a fixar o conhecimento sobre as zoonoses e nos dá a chance de prestar um serviço para a comunidade, passando um pouco do que aprendemos na Faculdade para pessoas sem tanto acesso à informação”.

Ao longo de mais de uma década de trabalho, o projeto já foi levado a municípios vizinhos como Bauru, Areiópolis, Pardinho e São Manuel. Se depender do professor Langoni, por todos os benefícios que gera, as atividades vão continuar nos anos seguintes. “O projeto é importante por fazer a Faculdade sair dos seus muros e cumprir sua função de extensão, ao mesmo tempo que leva os alunos para ter contato com a realidade, complementando sua formação, permitindo que eles exerçam a cidadania e ajudem a melhorar a vida das pessoas”.