Projeto da Unesp é certificado como “Tecnologia Social”

O projeto “Sistemas de Irrigação Alternativos de Baixo Custo”, desenvolvido pelo professor Edmar José Scaloppi, do Departamento de Engenharia Rural da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, recebeu a certificação de Tecnologia Social, da Fundação Banco do Brasil.

Uma tecnologia social, na definição da Fundação, “compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação social. É um conceito que remete para uma proposta inovadora de desenvolvimento, considerando a participação coletiva no processo de organização, desenvolvimento e implementação. Está baseado na disseminação de soluções para problemas voltados a demandas de alimentação, educação, energia, habitação, renda, recursos hídricos, saúde, meio ambiente, dentre outras”.

O projeto desenvolvido pelo professor Scaloppi utiliza materiais como garrafas pet e tubulações de esgoto na montagem do sistema de irrigação. Ele possibilita a inserção de agricultores descapitalizados aos reconhecidos benefícios da agricultura irrigada, propondo sistemas tecnicamente eficientes, ambientalmente adequados e de baixo custo. Implantados, podem tornar uma determinada produção agrícola mais segura e economicamente viável, contribuindo para melhorar a qualidade de vida do homem do campo.

A área da Fazenda Experimental Lageado onde os sistemas de irrigação de baixo custo estão instalados para demonstração tem atraído muitos visitantes, incluindo estudantes, agricultores e órgãos de imprensa. As tecnologias já foram apresentadas em diversos eventos, dentre eles o Workshop Internacional de Inovações Tecnológicas na Irrigação, realizados em Piracicaba/SP, em junho de 2011, e Fortaleza/CE, em maio de 2012.
O trabalho do professor Scaloppi também deu origem a um Boletim Técnico, editado pela Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais, que foi um sucesso de vendas entre produtores rurais de várias regiões do Brasil.

Com a certificação, o projeto passa a estar disponibilizado no Banco de Tecnologias Sociais do Banco do Brasil, podendo ser acessado livremente por qualquer interessado. No Banco, as tecnologias sociais podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, etc. As informações abrangem o problema solucionado, a solução adotada, os recursos necessários para implementação e os contatos dos responsáveis, possibilitando que instituições interessadas em reaplicar ou conhecer detalhes sobre o processo possam entrar em contato direto com os desenvolvedores das tecnologias sociais.

Durante a solenidade de entrega do certificado, realizada na Sala da Congregação da FCA, Antonio Carlos Soares, superintendente regional do Banco do Brasil, ressaltou o papel da universidade como geradora de inovações comprometidas com as demandas sociais. “O belo exemplo do professor Scaloppi merece ser aplaudido e divulgado para o nosso país e no exterior. O agricultor precisa se enxergar como empresário e um sistema desses mostra que ele pode trabalhar na terra tendo lucro e vivendo da sua propriedade. Espero que outros pesquisadores sigam seu exemplo para que possamos semear ideias e contar boas histórias”.

O autor do projeto lembrou que os benefícios da irrigação são evidentes, mas muitos agricultores ainda não conseguem utilizar essa ferramenta por causa do elevado custo dos sistemas comerciais. “O que apresentamos é um conjunto de métodos, procedimentos e componentes que possibilitam que o produtor tenha uma atividade produtiva ininterrupta. É um conceito diferenciado de irrigação onde os critérios técnicos foram ajustados ? s exigências econômicas, contribuindo para a adoção dessas tecnologias em condições de recursos financeiros limitados. O investimento é da ordem de 300 reais por hectare”.

O professor Scaloppi agradeceu aos servidores Gilberto Winckler e Mario Munhoz, ? Pró-Reitoria de Extensão da Unesp, ao ex-vice-diretor da FCA, professor José Matheu Yalenti Perosa pelo apoio no desenvolvimento e consolidação do projeto e ? Fundação Banco do Brasil pelo reconhecimento. “Tenho a certeza de que a certificação vai contribuir para a divulgação desse projeto que, por não atender a interesses comerciais, tem grande dificuldade para chegar aos agricultores”.

No encerramento da sessão, o professor Carlos Frederico Wilcken, vice-diretor da FCA, parabenizou o autor do projeto. “Esse é um reconhecimento ? toda a dedicação do professor Scaloppi ? Faculdade e a sua atuação em pesquisa e em extensão”.

Também estiveram presentes na solenidade Sérgio Portes, analista da Superintendência Estadual do Banco do Brasil; Milton Bosco, secretário municipal da Agricultura; Perseu Mariani, secretário municipal do Meio Ambiente; além dos gerentes-gerais da agências do Banco do Brasil em Botucatu, representantes do Sebrae e professores do Departamento de Engenharia Rural da FCA.

Da Assessoria