Projeto avalia qualidade de vida dos estudantes de Medicina

Para saber a real situação de estudantes de Medicina e de outras áreas da saúde, como enfermagem e fonoaudiologia, o projeto Veras (Vida de Estudante e Residente da Área da Saúde), realiza desde abril, levantamento em âmbito nacional para conhecer a realidade por eles enfrentada. Através de um questionário online, os participantes da pesquisa farão ampla análise sobre qualidade de vida, ambiente de ensino e contextos cultural e social em que os estudantes estão inseridos, além dos fatores determinantes de risco ? saúde física e mental desses alunos.

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) integra o grupo de escolas médicas que participarão do estudo, sob a coordenação da USP (Universidade de São Paulo). Os professores Joélcio Francisco Abade, Vera Borges, Vera Garcia e Maria Cristina Lima serão os responsáveis pela aplicação do projeto na FMB.

Em um primeiro momento, 16 alunos do 1º ao 6º anos do curso de Medicina preencherão o formulário disponível no site do projeto (www.veras.logicamix.com). A escolha dos universitários foi feita por meio de sorteio mas todos os estudantes do curso de medicina são convidados a participar. Os alunos sorteados fazem parte da amostra nacional, mas com a participação dos voluntários, será possível ter uma ideia de como esta a qualidade de vida dos estudantes da FMB. Em outro estágio, a pesquisa também será estendida a estudantes de Enfermagem.

Segundo professora Maria Cristina, essa análise em âmbito nacional irá proporcionar subsídios para a identificação das mudanças no decorrer da vida acadêmica dos futuros médicos. “Os estudantes de Medicina apresentam, por exemplo, maior sonolência diurna que a população em geral”, exemplifica a coordenadora, ao mostrar um dos cenários em que esses graduandos estão sujeitos.

A graduação em Medicina no Brasil tem duração de seis anos, sendo que os programas de Residência Médica (especialização) podem chegar a mais cinco, em alguns casos. Estudantes de Medicina e das demais áreas da saúde, como fonoaudiologia, enfermagem, entre outros, estão propensos a adversidades e dúvidas no decorrer da formação profissional.

Os organizadores do Veras enfatizam que levantamentos anteriores apontaram que 49% dos estudantes de Medicina não estão satisfeitos com o curso. Para agravar a situação, alunos do 3º e 4º anos têm os piores escores de qualidade de vida devido a alta exigência da grade curricular, nestes anos em especial. Na FMB já houve outros inquéritos sobre saúde mental dos estudantes. De acordo com a Professora Maria Cristina, a novidade desta vez é a possibilidade de um feed-back ao final do preenchimento e a investigação de diversos aspectos importantes na vida dos acadêmicos.

Fonte: Leandro Rocha
Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB