Programa de Educação em Saúde leva informações sobre zoonoses a escolas da região

 

A edição de 2016 do Projeto de Educação em Saúde, “Participação do Médico Veterinário no Controle de Zoonoses”, desenvolvido pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, está em plena atividade. O projeto de extensão, iniciado em 1994, envolve alunos de graduação da disciplina de “Zoonoses” (um bolsista e treze voluntários), pós granduandos, estagiários e residentes da área de Zoonoses e Saúde Pública do Programa de Residência Multiprofissional na área de Saúde.

programa-educacao-e-saude-2Sob a coordenação do professor Hélio Langoni, a equipe do projeto leva até as escolas de Botucatu e região, conteúdo relacionado às doenças comuns aos humanos e animais (zoonoses) mais frequentes, como Leptospirose, Leishmanioses, Toxoplasmose, Raiva, Brucelose e Tuberculose. O projeto já chegou a ser apresentado em municípios vizinhos como Pardinho, São Manuel e Bauru.

Em 2016, a primeira escola visitada pelo grupo de trabalho da FMVZ foi o E.E. Cardoso de Almeida. Já estão agendadas novas visitas a outras salas do IECA e à Escola Estadual Dom Lúcio Antunes de Souza e outras devem participar do projeto até o final do ano.

“Os universitários transmitem as informações de maneira simples, para orientar como as doenças chegam e como elas podem ser evitadas e controladas a partir de medidas profiláticas com seus animais de estimação e produção”, explica o professor Hélio. “É um exercício de cidadania. Uma forma de devolver para a sociedade um pouco do que ela investe na universidade através dos impostos”.

Para os estudantes da FMVZ/Unesp é uma oportunidade de transmitir conhecimentos que eles viram ou estão vendo na sua formação, especialmente os relacionados a zoonoses. “É muito importante ter a chance de botar em prática o que aprendemos na teoria. Trabalhamos com diagnóstico e prevenção de doenças e conseguimos mostrar aos mais jovens o quanto é importante a questão da prevenção”, conta a residente Joeleni Rosa dos Santos. “É muito satisfatório quando conseguimos ver, ao final de cada palestra, que todos entenderam o que foi explicado e podem levar esse conhecimento para além da sala de aula. Temos um retorno grande por parte deles. Sempre tiram muitas dúvidas sobre os temas das palestras e também sobre a profissão de médico veterinário”.

Casa das Meninas e Parque Imperial

programa-educacao-e-saudeComo um desdobramento do Projeto de Educação em Saúde, a equipe coordenada pelo professor Hélio Langoni também desenvolveu atividades com as crianças de projetos sócio-educativos do município. “É um público diferente, formado por crianças, então vamos falar de tema relacionados a hábitos de higiene, prevenção de zoonoses e também de outras doenças. Temos o cuidado de adequar a linguagem e o conteúdo ao público que vai receber as informações”.

Seja de forma regular, a partir de uma parceria com a Prefeitura Municipal, como ocorre todas as quintas-feiras no Parque Imperial, ou através de um convite para uma atividade específica, como ocorreu na Casa das Meninas, as atividades nos projetos sociais são consideradas gratificantes pelos universitários que participam.

“É uma aula de cidadania. A maior parte de nossos alunos vem de um contexto de poder aquisitivo maior e nos projetos sociais conhecem outra realidade. Quando percebem que podem ajudar a mudar a realidade das crianças, eles amadurecem muito”, analisa o professor Hélio. “É um choque de realidade grande. As crianças ficam muito felizes com o contato conosco. Muitos universitários saem até emocionados dos encontros”, complementa Joeleni.