Professores assumem Departamento de Doenças Tropicais

Os professores Ricardo Almeida e Sueli Calvi são, desde o dia 15 de agosto, os novos chefes do Departamento de Doenças Topicais e Diagnóstico por Imagem da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB). A posse, realizada dia 28, foi acompanhada pela diretora da instituição, professora Silvana Schellini e colegas de departamento.

Com mandato pelos próximos dois anos, Almeida substitui o professor Carlos Magno Fortaleza na gestão de um dos mais novos departamentos da FMB. Criado em 1993, abriga as disciplinas de Moléstias Infecciosas e Parasitárias, Radiodiagnóstico e Medicina Nuclear. Também agrega três programas de Residência Médica.

Cessante do cargo, o professor Carlos Magno Fortaleza citou que os maiores avanços no departamento foram possíveis pela harmonia encontrada entre os acadêmicos que o integram. Ressaltou que o diálogo aberto foi essencial para o desenvolvimento obtido nos últimos anos. “Conseguimos ‘conversar’ com os outros departamentos e, o principal, houve a harmonia entre nossos professores. Com isso, nossa Pós-Graduação teve alta nos conceitos da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Também agregamos mais pesquisas e acordos internacionais”, frisou.

Silvana Schellini, diretora da FMB, realçou também os avanços em estrutura e o direcionamento que o setor tem tomado quanto ao ensino e pesquisa, além do suporte em assistência ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, autarquia vinculada ? Secretaria de Estado da Saúde. “Toda essa gama de especialidades que se agregam no Departamento de Doenças Tropicais é importante para a FMB se aprimorar na sua missão de ensinar e pesquisar”, declarou a gestora.

Novo chefe, professor Ricardo Almeida (que já exerceu a função de vice-chefe na gestão de Fortaleza), declarou que os principais desafios a serem vencidos são a consolidação dos grupos de pesquisa e criação de diretrizes para o desenvolvimento permanente da área. “Pretendemos fazer um diagnóstico para servir de base ao Plano de Desenvolvimento do Departamento. Com isso, teremos o direcionamento sobre o que buscar”, realçou.

Fonte:
Flávio Fogueral
Jornal da FMB