Professor mescla saúde física e mental com arte marcial

O professor e grão mestre chan kowk wai, Ricardo Martins da Veiga, atualmente, está promovendo um método de ensino de arte marcial chinesa que tem como principal objetivo melhorar a qualidade de vida da sociedade moderna: o Kung Fu de Shaolin (mosteiro budista que fica na província de Henan na China).

Combinando o aperfeiçoamento espiritual de um abade com as práticas físicas de um guerreiro, o método faz parte da grande herança cultural do povo chinês. Com seus movimentos elegantes e de extrema eficácia, a arte guerreira de Shaolin continua a despertar um enorme fascínio sobre incontáveis pessoas no mundo inteiro.

“Na evolução histórica e social das artes marciais chinesas, a filosofia budista e taoísta tiveram grande influência para o seu desenvolvimento. Este fato possibilitou aos praticantes adquirirem uma essência filosófica centrada em princípios que observavam as artes de combate como “caminho” para o encontro de si mesmo, responsável pela evolução interna de todos aqueles que se envolvem com as artes marciais de Shaolin”, ressalta Veiga.

O professor enfatiza que a história chinesa tem uma tradição milenar na arte da guerra, assim como um vasto conhecimento oriundo das experiências em campos de batalhas. Suas técnicas marciais são divididas em quatro categorias principais.

São elas: pernas (consistem na formação das bases, métodos evasivos e posicionamento estratégico); golpes (métodos para golpear meridianos de acupuntura evitando lesões externas em seus oponentes); arremesso (técnicas de combate projetadas para derrubar seus oponentes através da suavidade); e imobilização (habilidades de imobilizar e controlar qualquer adversário sem o uso da força física).

O método de ensino baseado nas fases de crescimento do bambu chinês (formar raízes, crescer flexível e desabrochar das folhas) visa resguardar e respeitar a simetria do corpo, promovendo conhecimento sobre si mesmo, conectando a mente e o corpo para promover longevidade e segurança.

“A conclusão do nível básico tornará o aluno apto nas quatro habilidades de combate, que compõe a formação física e mental necessária para combater os “quatro” inimigos da sociedade moderna, que são: insegurança, medo, ansiedade e raiva”, disse o professor.

E conclui realçando que o praticante deve desenvolver um espírito de purificação e de desapego para eliminar as aflições e trazer a iluminação. “Ao aplicar o Kung Fu de Shaolin se atinge um nível tão elevado que nenhuma outra arte marcial pode corresponder, e possui uma característica única no caminho espiritual”.