Professor da FCA representa do Brasil em organização da ONU

Entre os dias 04 e 8 de julho, o professor Alcides Lopes Leão, do Departamento de Recursos Naturais da Faculdade de Ciências Agronômicas, estará em Amsterdam, participando de uma renião do CFC – Common Fund for Commodities (Fundo Comum por Comoddities), instituição financeira intergovernamental criada no âmbito das Nações Unidas.

Por indicação do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, o professor Alcides será o novo representante do país junto ao órgão para um mandato de dois anos, renovável pelo mesmo período. A indicação do professor foi efetivada após ter submetida ao board e ao diretor geral da entidade.

O papel do professor Alcides Leão será compor o comitê de especialistas encarregados de avaliar os projetos que buscam financiamento internacional. “A tarefa desse comitê é extremamente importante, pois suas decisões poderão significar o desenvolvimento da economia local de um país a partir do impulso a uma commodity específica”, analisa o professor. “Creio que essa nomeação abre portas para um imenso leque de colaborações com outros paises e demonstra o reconhecimento das atividades desenvolvidas na FCA/ Unesp”, emenda.

O comitê de especialistas é formado por 13 membros da África (Quênia, Costa do Marfim, Sudão), da América Latina (Argentina, Brasil, Peru), da Ásia (Indonésia, Coréia do Sul, Japão e China) e Europa (Rússia, Alemanha e Itália).

O professor tem tido uma atuação internacional muito destacada junto a FAO/ONU (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) participando de vários projetos internacionais em países como Colômbia, Equador, Filipinas, Índia, Tanzânia e Haiti. Todos os projetos estão relacionados com o desenvolvimento de novas aplicações para as fibras naturais, uma commodity importante para esses paises, com grande impacto em suas respectivas economias.

{n}CFC{/n}

Criado durante a Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, em 1989, o Fundo reúne 107 Estados-membros e instituições como a União Européia (UE), a União Africano (UA), o Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA), a Comunidade do Leste Africano, a Comunidade Andina, a Comunidade do Caribe (CARICOM), Desenvolvimento da África Austral (SADC) e União Econômica e Monetária do Oeste Africano (UEMOA).

A abordagem do CFC no combate ? pobreza é original dado o enfoque específico nos produtos de base, dos quais depende a sobrevivência de milhões de famílias nos países em desenvolvimento. O Fundo concede financiamento a projetos internacionais de alcance global, voltados para os pequenos agricultores, bem como pequenas e médias empresas envolvidas em produção, processamento e comércio de commodities, em países menos desenvolvidos.

São projetos que podem ser replicados em outros países e envolvem diretamente o financiamento de pesquisas e desenvolvimento para países que necessitem incrementar uma commodity específica. Alguns dos projetos aprovados pelo CFC recentemente envolvem commodities como bambu, café, peixes, plantas medicinais, sorgo e outras.

Fonte: Assessoria de imprensa
Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp – câmpus de Botucatu/SP
Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais – Fepaf