Prefeito assina com 3ª empresa para o parque tecnológico de Botucatu

prefeito-assina-com-empresa-assobio-do-pq-tecnologico-foto-igor-medeiros-15-customO prefeito de Botucatu, João Cury Neto, ao lado do secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Carlos Costa, e membros da diretoria do Parque Tecnológico, recebeu na tarde da última sexta-feira (30) representantes da Assobio [Andrade & Borini Soluções Socioambientais LTDA – ME]. Trata-se da terceira empresa a assinar o termo de permissão de uso para ocupar uma das salas do Parque Tecnológico de Botucatu. A BPI já opera no local desde o início de setembro, enquanto que a Omics finaliza sua instalação e deve entrar em operação nos próximos 30 dias.

Fundada pelas engenheiras agrônomas Geysa Borini e Marina Andrade, a Assobio está incubada desde maio de 2014 na Prospecta, incubadora de empresas da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp Botucatu, localizada no campus da Fazenda Lageado. A Assobio trabalha com soluções socioambientais, com foco em projetos de reflorestamento, cujos principais clientes são concessionárias de rodovias, construtoras e empresas do ramo de energia. Além do conceito de sustentabilidade, a empresa ainda prioriza o caráter social.

Ela também foi selecionada para participar do processo de aceleração de empresas da Yunus Social Business Brasil, para a consolidação de um modelo de Negócio Social. Após o processo de aceleração, a empresa foi escolhida para receber investimentos do Fundo Global do Yunus, em 2016. Com o recebimento desse investimento, a Assobio irá construir o Centro de Referência e Multiplicação do Conhecimento em Florestas Nativas, o que ampliará seu impacto socioambiental e consolidará seu modelo de negócio inovador.

Com isso o Parque Tecnológico terá uma empresa com atividades de produção de mudas nativas em conjunto com programa de inclusão social; cursos de capacitação para diferentes agentes da cadeia de reflorestamento; atividades de educação socioambiental para crianças/jovens; pesquisas relacionadas a florestas nativas em parceria com professores da Unesp; organização de eventos sobre negócios sociais; entre outras.

“Esse Centro de Referência de Florestas Nativas terá capacidade para produzir 50 mil mudas por ano. E o nosso diferencial está mesmo no impacto social que podemos gerar com o nosso negócio, especialmente no que se refere aos programas de educação ambiental que serão implementados no viveiro”, afirma Marina.

“Pretendemos em breve iniciar um trabalho com adolescentes, fora do período regular da escola. Queremos incentivar e capacitar eles e outras pessoas para que a preocupação com o meio ambiente esteja cada vez mais presente na comunidade. Em paralelo, somos uma alternativa às grandes empresas, que podem encontrar no nosso serviço uma maneira de agregar valor socioambiental à sua marca”, complementa Geysa.

“O Parque Tecnológico de Botucatu cada vez mais vem se tornando vitrine a empresas que buscam fazer diferente. É o que a Assobio se propõe a fazer, respeitando a vocação do nosso Parque. Muitos diziam ele era um sonho e que só daria frutos daqui a 20 anos. Como se vê, o Parque Tecnológico de Botucatu será, cada vez mais, um importante marco para o desenvolvimento de Botucatu e região”, enfatiza o prefeito João Cury.

 

Sobre o Parque Tecnológico

Inaugurado em 14 de abril de 2015 e credenciado em 19 de janeiro de 2016, o Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística.

Possui uma área total de 360 mil metros quadrados, onde abriga o Centro de Gestão Tecnológica “Fernando Bandeira de Mello Marins”, edifício administrativo de 1.900 metros quadrados. Ele é composto por salas de reunião, espera e treinamento, instalações para diretoria, secretaria, administração, compras, manutenção, recepção, copa, sanitários, área de atendimento, hall, dois anfiteatros e auditório para 190 pessoas.

 

Também conta com uma área com 18 lotes de aproximadamente 1.500 metros quadrados, com completa infraestrutura destinada a instalação de Centros de Pesquisa e Desenvolvimento públicos e privados; outra área de 33 mil metros quadrados para a construção de um Centro Empresarial e uma Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de cerca de 5.500 metros quadrados; além de uma área para expansão de 220 mil metros quadrados.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Botucatu já investiram cerca de R$ 11 milhões no empreendimento, incluindo estudos, infraestrutura, edificações e aquisição de mobiliário e equipamentos.

Em maio deste ano foi criado o Núcleo de Empreendedorismo e Inovação do Parque Tecnológico Botucatu – NEI, que busca estabelecer um programa de aproximação regional entre as instituições de ensino e o Parque Tecnológico Botucatu e, assim, estimular o empreendedorismo como opção de carreira aos jovens universitários.

Além disso, possibilitará que o segmento acadêmico e o mercado atuem de forma conjunta e desenvolvam projetos que venham gerar novos negócios e riquezas.

Empresas interessadas em se instalar no Parque Tecnológico Botucatu devem presentar projeto e preencher os requisitos estabelecidos nos chamamentos públicos disponíveis no site www.parquebtu.org.br.

 

Serviço

Parque Tecnológico Botucatu

Rodovia Gastão Dal Farra km, 7+184m

Tel.: (14) 3813-4659

E-mail: contato@parquetecnologicobotucatu.org.br

Site: http://parquebtu.org.br/