Prédio do antigo Fórum passa por novo processo de limpeza

Diversas máquinas caça-níqueis, máquinas de escrever e registradoras, bicicletas, botijões de gás de gás, roupas velhas, facas enferrujadas (apreendidos em operações policiais), além de móveis de madeira e de aço.

Foram estes alguns objetos que estavam armazenados no porão do antigo prédio do Fórum de Botucatu. O porão foi aberto nesta terça-feira (22) para que funcionários da Prefeitura Municipal guardassem os mais variados tipos de objetos, principalmente, móveis que foram retirados dos cômodos do prédio que outrora foram usados como gabinetes de juízes e promotores, cartórios, secretarias, sala de júri, entre outros.

Um caminhão baú da Prefeitura Municipal foi estacionado em frente ao prédio para carregar os móveis e outros materiais inservíveis que deverão ser destruídos. Os objetos que ainda se encontram em condições de uso, embora antigos, deverão ser doados, de acordo com a determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo.

{n}Doação do prédio{/n}

Em visita que fez a Botucatu, na primeira quinzena de janeiro deste ano para a inauguração do Poupatempo, o governador Geraldo Alckmin anunciou que o prédio do antigo Fórum havia sido doado para o Município para abrigar a primeira Pinacoteca no interior do Estado.

No dia 18 de janeiro, funcionários da Prefeitura estiveram no local para fazer uma avaliação e encontraram o prédio numa situação preocupante com infiltrações de água em diversos pontos, telhado e piso danificado, trincas nas paredes e reboco se desprendendo. O cheiro era muito forte em razão do local se tornar um verdadeiro criadouro de pombos, com excrementos das aves espalhados por todos os lados, principalmente, no piso superior, onde um dia funcionou o Tribunal de Júri.

O secretário de Descentralização e Participação Popular, João Carlos Figueroa, elaborou um relatório ao prefeito João Cury explicando a situação atual, para que ele determinasse a presença de um especialista em construção para uma análise técnica, com a finalidade de elaborar uma reforma e possibilitar que o prédio volte a ser utilizado em prol dos munícipes.

No dia 20 de janeiro, foi iniciada a limpeza da área interna e no dia 27 uma comitiva de São Paulo, composta pelo diretor da Estação Pinacoteca, Marcelo Araújo; a coordenadora da Unidade de Bibliotecas e Leitura (UBL), Adriana Cybele Ferrari e o diretor do Museu da Língua Portuguesa, Antonio Carlos Sartini, esteve em Botucatu e conheceu as instalações do prédio.

Finalmente, nesse dia 22 de fevereiro, os móveis que estavam nos cômodos do prédio foram levados para o porão e nas próximas semanas a Prefeitura deverá abrir o processo licitatório para que as reformas sejam iniciadas, por uma empresa especializada. A expectativa é que prédio passe por uma grande transformação e faça com que Botucatu seja o primeiro município do interior paulista a contar com uma Pinacoteca.

Fotos: David Devidé