Político faz até jacaré manco andar de bicicleta

Uma frase que era dita com muita freqüência pelo saudoso vereador botucatuense Progresso Garcia nos anos 60: “Na política a gente só não vê boi voar”. Só que na política atual os parlamentares se superaram. Além de fazer boi voar eles conseguem fazer elefante fazer malabarismo no trapézio, minhoca sapatear, hiena chocar ovos de albatroz, girafa azul jogar peteca, baleia de salto alto desfilar em passarela, jacaré manco andar de bicicleta, entre outras mágicas.

Vamos ser mais claros. Quem em sã consciência poderia imaginar, por exemplo, que o ex-presidente José Sarney, que foi chamado de tudo que é nome, até de ladrão, pelo presidente atual Lula, poderia ser o maior alicerce de sustentação que o governo tem no senado? Lula e Sarney são hoje como carne e unha. Isso sem falar de Renan Calheiros, que é o líder do PMDB no Senado e negocia os acordos com o governo. O velho e sempre ativo Renan…

Outro caso escabroso é do senador Romero Jucá (esse não resta ? menor dúvida), aquele mesmo que fez um empréstimo e deu como garantia oito fazendas inexistentes. Foi acusado quando era (pasmem) ministro da Previdência Social do atual governo. Teve que renunciar o cargo, mas esse mesmo Jucá passou a ser o líder do governo no Senado Federal e atua em nome do próprio Lula. Jucá é conhecido como líder profissional e procura estar sempre de mãos dadas com quem está no poder.

Também não podemos esquecer do famigerado caso do mensalão financiado pelo empresário mineiro Marcos Valério, denunciado pelo deputado Roberto Jeferson, até então aliado do governo. Jeferson denunciou que integrantes do PT e demais partidos aliados, através de Valério, recebiam pagamentos mensais para votar projetos favoráveis ao governo.

Esse é o mesmo Jeferson que poderia causar o impeachment de Lula, que confiava cegamente em Jeferson. O próprio Lula disse em reunião com caciques do seu partido, que Jeferson era leal e daria a ele, um cheque em branco. Mas, Jeferson só fez a denúncia porque se sentiu traído por não receber o dinheiro que lhe foi prometido. Se tivesse recebido, o mensalão ainda estaria correndo solto pelos bastidores do Congresso Nacional. Então, o senhor Roberto Jeferson, não é nenhum santinho.

Poderíamos aqui enumerar dezenas de fatos que movimentam a política nacional, como criação de CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) que nunca dão em nada e não se pune ninguém. Uma pizzaria completa. Mas o espaço é curto para tanta falcatrua. E quero poupar o estômago. Com os casos citados dá para se ter uma idéia da situação do nosso Congresso Nacional. Não é a toa que a cada dia que passa a classe política desce mais um degrau do descrédito. Ninguém mais está acreditando em político. E não deve acreditar mesmo!

Vale frisar que não quero dizer aqui que todos os políticos são corruptos, ladrões, estelionatários, quadrilheiros e tantos e tantos outros adjetivos que se encaixariam perfeitamente no perfil de muitos. Nada disso! Seria leviandade de minha parte não reconhecer que (ainda) existem políticos de boa índole. Mas, infelizmente, eles são a minoria. A esmagadora minoria. E isso vale para a esfera municipal, estadual e federal.

Posso estar errado, mas acredito piamente que vai chegar o dia em que a população brasileira vai estar tão saturada das safadezas dos políticos que eles não vão poder sair ? s ruas, sem o risco de serem execrados. O pior é que isso vai respingar na família, que vai perder a paz. É como um policial morar em favela e ter que sair de bermuda, com a farda embrulhada em uma sacola plástica para não sofrer represálias. A diferença é que o policial trabalha. E recebe um salário miserável pelo risco que corre.

Então, eles vão acabar perdendo a paz e tirar a paz da sua família. E vou mais longe! Não duvido que um dia o político vai ter que esconder que é político, para não sofrer nenhum tipo de constrangimento. E a maioria deles mereceria (mesmo) esse tratamento. E haja ovo! De avestruz!

Pelé disse um dia que o povo brasileiro não sabe votar. E, pelo menos desta vez, estava absolutamente certo. Queria dizer o maior jogador de futebol de todos os tempos que a população se deixa levar pelo poder de persuasão dos políticos profissionais, que voltam sempre ao poder. E torna o poder viciado, com as velhas falcatruas de sempre. O povo tem uma arma mortífera contra os políticos, mas não foi treinado para usá-la. Infelizmente, é isso!