Pescadores da região aguardam o término da Piracema

O comando da Polícia Ambiental de Botucatu enfatiza que mesmo com o final da piracema é necessário que o pescador conheça seus direitos e deveres quando praticar a pesca  


Voltar a jogar as redes na água. Essa é a expectativa dos pescadores  profissionais de Botucatu e demais cidades da região que estão em contagem regressiva para o término da época da piracema que entrou em vigor em 31 de novembro do ano passado e se encerra no próximo dia 29 de fevereiro.

Nesse período a pesca fica proibida para respeitar o período de desova dos peixes preservando espécies que migram para reprodução precisando nadar contra a correnteza até as cabeceiras dos rios, para se reproduzirem. Durante este evento, os peixes gastam muita energia, o que contribui para queima de gordura acumulada no corpo e se tornam presas fáceis e a captura em excesso compromete a reprodução.

A fiscalização fica por conta da Polícia Militar Ambiental de Botucatu que atende a 26 municípios da região, agregando uma população estimada em 500 mil habitantes e as três maiores represas do Estado de São Paulo: Barra Bonita, Chavantes e Jurumirim. O território alcança 15 mil quilômetros quadrados de área terrestre, 1.000 quilômetros quadrados de rios e 1.500 quilômetros quadrados de represas.

O comando da Polícia Ambiental de Botucatu enfatiza que mesmo com o final da piracema é necessário que o pescador conheça seus direitos e deveres quando praticar a pesca.  A polícia tem, por força de lei, punir aquelas pessoas que não respeitam as normas pesqueiras, que incluem tamanho de peixes, quantidade, maneira de pescar sem predação, entre outras coisas. O telefone da Ambiental é (14) 3882-6070.

 

“Operação Verão Mais Limpo”

Vale lembrar que em dezembro do ano passado os pescadores da região de Botucatu retiraram algo em torno de 700 metros cúbicos ou 35 toneladas de lixo. Esse foi o saldo da limpeza das margens da represa de Barra Bonita, trecho entre Botucatu, Anhembi e São Manuel banhado pelo Rio Tietê. Esta foi a terceira ação em pouco menos de dois anos, dentro da operação “Verão Mais Limpo”.

Essa iniciativa é do Grupo Ambiental da Região Botucatu, formado por representantes da Prefeitura de Botucatu [Secretarias de Meio Ambiente, Obras, Planejamento, Turismo e Patrulha Ambiental da Guarda Civil Municipal], Polícia Militar Ambiental, Unesp, Cetesb e empresas da Cidade e região (Gruppi Caçamba, Areia Rays, Grupo Agroarte, Fazenda Morrinhos, Usina São Manoel, Duratex e Água Boa).

O trabalho realizado pelos pescadores de Botucatu e região percorreu mais de 100 km de margens do rio. Todo o material recolhido foi enviado à Cooperativa de Agentes Ambientais de Botucatu, que realizam sua triagem e, posteriormente, é revertido em renda para os cooperados.

Os pescadores envolvidos na ação recebem auxílio financeiro para o reembolso do combustível utilizado durante a coleta do lixo, possíveis reparos nas embarcações ou compra de novos materiais como redes de pesca. Esta ajuda é bem vinda aos pescadores nesta época do ano, onde ocorre a piracema e  a pesca fica restrita.