Operação Fumaça Preta autua 57 motoristas em Botucatu e Pederneiras

IMG_9638 (3)A  Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e Secretaria do Meio Ambiente (SMA), com o apoio das Polícias Militar e Ambiental, realizaram nessa quarta-feira (24) o 3º megacomando de fiscalização de fumaça preta de veículos a diesel nas principais rodovias e avenidas do estado. Na região, 57 motoristas foram autuados em Botucatu e Pederneiras por emitirem fumaça em desacordo com a legislação ambiental.

Em Botucatu (100 quilômetros de Bauru), um ponto de fiscalização foi montado no quilômetro 252 da rodovia Marechal Rondon (SP-300), no sentido Capital-Interior. Dos 371 veículos a diesel vistoriados, 17 emitiram fumaça fora dos padrões ambientais. Em Pederneiras (26 quilômetros de Bauru), ponto no quilômetro 223 da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-225) vistoriou 937 veículos e aplicou 40 multas.

Em todo o Estado de São Paulo, foram registrados 715 autos de infração de total de 33.904 veículos a diesel que passaram em 22 pontos de fiscalização. Nos dois megacomandos anteriores, em junho e julho, foram autuados 1.855 veículos. De acordo com a Cetesb, nesta época do inverno, em que condições meteorológicas costumam ficar desfavoráveis à dispersão dos poluentes, o objetivo é evitar episódios críticos de poluição do ar.

Na Capital, no ponto de fiscalização próximo ao encontro das Marginais Pinheiros e Tietê, técnicos da Cetesb utilizaram duas novas viaturas equipadas com o opacímetro, um instrumento de última geração que mede a opacidade da fumaça emitida por veículos a diesel e aponta se ela está fora dos padrões ambientais. Nos demais pontos, a análise foi feita com a Escala de Ringelmann, um instrumento de constatação visual.

Segundo a Cetesb, a multa para condutores de veículos que emitem fumaça preta é de 60 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps), o correspondente a R$ 1.413,00. O valor pode dobrar em caso de reincidência. Para incentivar a manutenção corretiva do veículo, a multa pode ser reduzida em 70%, desde que o veículo seja reparado e avaliado em unidade operacional cadastrada no Programa de Melhoria da Manutenção de Veículos Diesel (PMMVD).

Nos últimos anos, o órgão ambiental revela que o percentual de veículos a diesel emitindo fumaça preta em excesso no Estado de São Paulo caiu em mais de 30%.

(Fonte: JCNet)