Novos equipamentos são adquiridos pela Neurocirurgia do HCFMB

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) adquiriu dois novos equipamentos de última geração, que agora colocam os serviços da neurologia desta unidade, definitivamente, entre os melhores do Brasil. Responsável por atender a uma população estimada em cerca de 1.600 000 habitantes, o setor agora conta com um Neuronavegador e um Aspirador Ultrassônico de última geração.

Os dois aparelhos iniciaram suas atividades no mesmo momento em que o novo aparelho de ressonância magnética do Hospital entrou em funcionamento. Com isso, o nível dos diagnósticos por imagem do serviço de Neurologia e Neurocirurgia do HC foi colocado em um patamar muito alto.

O Neuronavegador funciona basicamente como um localizador dentro do cérebro humano. Ele é utilizado durante o procedimento cirúrgico, logo depois do diagnóstico oferecido pelo mapeamento craniano, feito pela ressonância magnética. Através de algumas antenas, o aparelho recebe os sinais e projeta no monitor o local exato de onde a cirurgia será feita.

“Com o acesso ao monitor, o cirurgião navega dentro do crânio do paciente, retirando apenas o material indesejado e respeitando as estruturas normais intactas. O Neuronavegador nos oferecer uma visualização mais precisa na localização da lesão cerebral”, explicou o chefe do Serviço de Neurocirurgia do HC, Roberto Gabarra.

De acordo com o professor Marco Antônio Zanini, o equipamento chega para consolidar a qualidade do serviço oferecido pelo hospital. “O Neuronavegador não é uma novidade, no entanto, ainda existem poucos hospitais com esse equipamento disponível. Com isso, o HC resgata um procedimento que coloca definitivamente a prática e o ensino oferecidos aqui, no topo da qualidade”, comentou o médico.

A outra novidade apresentada pelo Serviço de Neurologia é um Aspirador Ultrassônico de última geração. O equipamento permite que o ato cirúrgico seja ainda mais preciso. “Com esse aspirador, consegue-se realizar a retirada de um tumor cerebral, por exemplo, muito mais precisão, preservando tecidos tais como artérias e veias, reduzindo em muito os riscos cirúrgicos”, comentou Gabarra.

Com os dois novos aparelhos e a ressonância magnética em funcionamento, os benefícios serão muitos. “Essa integração de tecnologias será muito importante. Estamos conseguindo trazer as técnicas de qualidade de imagem de alta resolução e empregando na prática cirúrgica. Conseguimos uma boa relação entre imagem, navegação e aspiração que garante nossa precisão e também, reduz significativamente o nosso tempo em cirurgia”, concluiu Zanini.

Fonte: Assessoria de comunicação do HCFMB