Motoristas podem “pendurar” a tarifa de pedágio

Se por ventura uma pessoa estiver em uma rodovia e perceber que está sem dinheiro para efetuar o pagamento da tarifa do pedágio não é necessário se preocupar. Pouca gente sabe, mas por força de lei, o condutor de um veículo, seja ele de pequeno ou grande porte, pode passar pela cabine sem pagar a taxa, pedindo o RD (Recolhimento de Dívida) e só pagar a tarifa 72 horas depois. E tem mais: não é necessário pagar no mesmo pedágio em que “pendurou” a conta e sim em qualquer pedágio que integre a concessionária responsável pela área.

Por exemplo, o motorista pode ficar devendo no pedágio entre Botucatu e São Manuel que é explorado pela Concessionária Rodovias Tietê e pagar a conta somente 72 horas depois em qualquer outro pedágio que pertença a essa mesma concessionária (Conchas, Agudos, Anhembi e Areiópolis) ou a um banco autorizado. Ele recebe da atendente o RD e pode passar sem pagar quantas vezes seja necessário. Isso também vale para todas as praças espalhadas pelo Estado.

A reportagem do {n} Jornal Acontece {/n} procurou a concessionária (0800-770-3322) e confirmou a veracidade desta informação. Também uma das atendentes de um dos pedágios da Concessionária Tietê revelou que ainda são raros os casos em que as pessoas passam sem pagar por desconhecerem esse direito. “Mas isso existe, sim. Qualquer motorista pode deixar de pagar o pedágio numa determinada praça e acertar a dívida no prazo de 72 horas, em outra”, ressalta.

Entretanto, ela adianta que se a pessoa não pagar no prazo previsto poderá responder por crime. “O nome do motorista será encaminhado para a CPRv (Companhia de Polícia Rodoviária Estadual) para autuação em crime de evasão de pedágio e isso poderá gerar perdas de pontos na carteira”, alertou a funcionária que pediu para não ser identificada.

O comandante da Polícia Militar Rodoviária da região de Botucatu, tenente Ricardo Maganha, salienta que os motoristas podem usar dessa alternativa de deixar de pagar a tarifa do pedágio, pois imprevistos sempre acontecem, mas as características do carro e do condutor são anotadas pela atendente.

“Nossa orientação é para que as pessoas que se utilizarem dessa alternativa façam o pagamento dentro do prazo estabelecido para não ter nenhum tipo de problema. Qualquer dúvida, a pessoa interessada deve ligar para a concessionária responsável pela praça de pedágio e solicitar todos os esclarecimentos”, explicou o comandante.

Foto: Valéria Cuter