Motociclista que teve morte precoce vira estátua

O escultor botucatuense Pedro Cesar, que já prestou serviços na confecção de esculturas para diversos estados  brasileiros, está concluindo mais um trabalho de muito destaque. Desta feita fez a  estátua de um garoto chamado Eduardo Leopoldo Rudnick, o Dú,  que morreu precocemente aos 15 anos de idade.

Esse garoto, oriundo da cidade de Piên, no Paraná, era uma grande promessa do motociclismo nacional.  Foram seis anos de pistas no campeonato Brasileiro de Motocross e Arena Cross, sempre entre os primeiros e fazia parte da equipe Honda Racing. Participou de várias  provas promovidas pelo empresário botucatuense Carlinhos Romagnolli.

Porém, sua carreira foi abreviada por um raro tipo de câncer. Foram seis meses de luta contra a doença, até que em fevereiro de 2010, aos 15 anos, Eduardo faleceu. Em homenagem ao piloto, um projeto de lei aprovado por unanimidade na Câmara dos Vereadores aprovou a construção de um motódromo que leva seu nome.

Eduardo Rudnick correu pela última vez em agosto de 2009, na etapa final do Brasileiro de Motocross. Depois foi internado. Inicialmente a suspeita era que o jovem piloto sofria de anemia, mas exames detalhados apontaram o câncer. Seis meses depois ele faleceu.

Este ano o pai do jovem piloto, Marcos Rudnick,  procurou o escultor de Botucatu para que estátua fosse feita. “Foi um trabalho de 40 dias e a peça foi confeccionada em ferro e cimento. Não posso negar que foi uma emoção muito grande confeccionar essa peça, depois de conhecer a história de vida desse garoto. O trabalho está concluído e nas próximas horas será encaminhada para o Paraná”, disse Pedro Cesar.