Morre em Botucatu o padre Zezinho Lorusso aos 78 anos

Fez da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, uma das mais organizadas e estruturadas do Estado, trabalhando ao lado dos paroquianos, dividindo a igreja  em 12 setores, 86 subsetores, com 800 agentes pastorais prestando serviços voluntários

 

Morreu na Misericórdia de Botucatu,  as 20h40 deste sábado, dia 2 janeiro, aos 78 anos de idade,  o monsenhor José Lorusso ou padre Zezinho, como era mais conhecido, um dos mais conhecidos, carismáticos e polêmicos sacerdotes que atuaram em Botucatu. Responsável pela Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Vila dos Lavradores,  por 29 anos, Lorusso  foi também, presidente da Comissão para Serviço da Caridade, Justiça e Paz da Arquidiocese de Botucatu.

Nasceu e foi alfabetizado na Cidade de Bari, na Itália, de onde saiu aos 12 anos para fixar residência em Roma. Filho de pai empresário e penúltimo filho de uma família de dez irmãos (sete homens) sentiu sua vocação ao sacerdócio e desse caminho não mais se desviou. E foi na Basílica de São Pedro onde aconteceu sua ordenação pelas mãos do Vigário Geral de Sua Santidade Papa XXIII, cardeal Eugênio Trisserant.

Ainda jovem, Lorusso veio para o Brasil, onde teve o cargo de sacerdote acumulado com várias funções e nunca se preocupou em galgar cargos eclesiásticos mesmo tendo se especializado em psicologia, filosofia, história, teologia dogmática e moral, lecionando em todas as disciplinas em que se especializou. Também é poliglota e fala vários idiomas, conhecendo a maioria dos países europeus, Estados Unidos e Japão.

Em entrevista ao Acontece Botucatu, em 2013,  Lorusso falou sobre  sua vocação sacerdotal. “Carreira por carreira teria ficado com minha família tendo a possibilidade de projetar econômica e politicamente. Minha vocação é ser missionário e servidor, na medida em que o anúncio do evangelho se aposse de minha alma, inteligência e de poder transmitir a palavra de Deus e influenciar as pessoas”, dizia Lorusso que é adepto a Renovação Carismática Católica.

Ao longo dos anos fez da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, uma das mais organizadas e estruturadas do Estado, trabalhando ao lado dos paroquianos. Pastoralmente dividiu a igreja  em 12 setores, 86 subsetores, com 800 agentes pastorais prestando serviços voluntários à comunidade. Sua estrutura física agrega entre outras coisas, Matriz, Centro de Planejamento Pastoral; Sala Multimídia; e Recanto Infantil.

A manutenção econômica da Paróquia vem do projeto “consciência da partilha”, através da Pastoral do Dízimo, que segundo Lorusso fortalece a comunidade e permite melhor formação dos quase mil agentes transformadores da igreja. “O dízimo é, na verdade, uma devolução a Deus de uma pequena parte que Ele nos dá”, explica.

Em fevereiro de 2013 inaugurou a segunda Igreja do Divino Pai Eterno do Brasil, instalada no Centro Comunitário no Jardim Monte Mor/Jardim Iolanda, na Rua Leonilda Varoli Faconti. A outra igreja brasileira fica na Cidade de Trindade, em Goiás, tendo como responsável o padre Robson de Oliveira Pereira. Inauguração contou com a presença do Arcebispo Dom Maurício Grotto de Camargo, vários sacerdotes e centenas de pessoas ligadas aos mais diferentes segmentos da sociedade botucatuense.

Em seu discurso o Arcebispo de Botucatu, na ocasião,  não deixou de elogiar o trabalho realizado pelo monsenhor Lorusso para construir a igreja e lembrou seu passado desde quando decidiu ser padre, contrariando o desejo da própria família. “O monsenhor Zezinho veio de uma família muito rica e abandonou tudo para seguir sua vocação sacerdotal, para se tornar um missionário autêntico”, disse o Arcebispo, sendo muito aplaudido. Nesse momento o monsenhor não segurou as lágrimas e chorou muito.

Pouco depois, já refeito da forte emoção, o monsenhor enalteceu o envolvimento das pessoas que estiveram nessa empreitada e a comunidade católica, de uma forma geral. Lembrou que foram gastos mais de R$ 650 mil para executar essa obra e todo dinheiro veio, exclusivamente, do dízimo da comunidade.

“Não estamos devendo nada pra ninguém. Nós plantamos a semente e agora estamos colhendo os frutos. Essa igreja é o ponto de alegria e felicidade para todos. Não fazemos nada sozinho e tudo que conquistamos veio desse trabalho que é feito com a comunidade, através das nossas Pastorais”, frisou.

Centenas de pessoas passaram pela igreja Sagrado Coração de Jesus, onde o padre Zezinho foi velado, com a celebração de três missas de corpo presente. O cerimonial de exéquias  (ritos e orações com os quais a comunidade cristã acompanha seus mortos e os encomenda a Deus) foi presidido pelo Arcebispo Dom Maurício Grotto de Camargo.  O sepultamento aconteceu no final da tarde deste domingo no Cemitério Portal das Cruzes.