Moradores da Cohab I querem mover ação contra seguradora

Várias famílias de moradores do Conjunto Habitacional Humberto Popolo – Cohab I, vão se reunir na noite da próxima quarta-feira (8) no ginásio poliesportivo da Escola Antenor Serra – Serrinha, com os advogados Fabiano Sobrinho e Rafael Protti, para discutir a probabilidade do pagamento do seguro habitacional das casas que foram construídas. A reunião com os advogados foi agendada pela União das Associações e Sociedades Amigos de Bairros (Unasab´s).

Uma reunião para debater esse assunto já foi realizada (foto), em julho, contando com a presença do prefeito João Cury Neto; o Secretário de Descentralização e Participação Popular, João Carlos Figueroa; o presidente da Associação de Moradores da Cohab I, Paulo da Silva Lemos, o Paulão, o presidente da Unasab´s, Marcos Antônio da Silva, o Marcão; o diretor técnico da Cohab I, de Bauru, Arthur Jorge Garcia, o servidor da Unesp Kim Garcia, entre outros.

A revolta é que 18 moradores que contrataram um grupo de advogados de Santa Catarina ganharam na Justiça, o ressarcimento do seguro e os outros ainda estão em andamento, mas ainda existe uma dúvida muito grande entre os moradores, que ainda não impetraram ação. “O que vamos fazer é nos reunirmos com os moradores e observar a situação de cada um para ver se cabe ação contra a seguradora”, comentou o advogado Fabiano Sobrinho, que não descarta a possibilidade de entrar com uma ação coletiva na Justiça.

“Quando o contrato de compra do imóvel foi assinado, estava inserido o seguro para ressarcir possíveis problemas estruturais como rachaduras e infiltrações e os moradores reclamam que as casas apresentaram problemas e a seguradora não fez o ressarcimento devido”, frisa Sobrinho. “Temos que analisar caso a caso para ver o que pode ser feito. Quem se sentir prejudicado deve mesmo procurar seus direitos na Justiça”, acrescentou.

A reportagem do {n} Jornal Acontece{/n}buscou explicações junto ? seguradora Sul Americana para falar sobre o assunto das apólices, mas uma funcionária revelou que a empresa não iria se manifestar sobre assuntos dessa natureza, que são encaminhados ao Jurídico.