Lançado em Botucatu a campanha “Proteja Brasil”

 

O Centro de Registro e Atenção aos Maus Tratos na Infância (Crami), com o apoio da Secretaria Municipal de Serviço Social, lançou oficialmente em Botucatu, no auditório do Colégio La Salle, a campanha “Proteja Brasil – Entre em Campo pelos Direitos das Crianças e Adolescentes”. O evento reuniu mais de 300 pessoas, a maioria alunos de dez escolas nas quais o Crami atua na Cidade, além de profissionais da Secretária Municipal de Assistência Social, Crami, CMDCA e Conselho Tutelar.

Todos puderam acompanhar a palestra do padre Emerson Rogério Anizi, pároco da Catedral Metropolitana de Sant’Anna. Ele falou sobre sua atuação junto à Fazenda Esperança (comunidade terapêutica com mais de 30 anos de experiência na recuperação de jovens dependentes químicos), relatou histórias e experiências vividas por crianças e jovens vítimas de violência em Curitiba (PR), e passou mensagens positivas de como a sociedade deve se posicionar para enfrentar este problema social. Na ocasião também foram premiados os alunos que produziram os melhores desenhos e frases relacionados ao tema da violência infanto-juvenil.

Para a coordenadora do Crami, Mari André Neris Bomnome, o mais importante é o trabalho em conjunto entre todos os envolvidos. Segundo ela, Botucatu recebe, por ano, cerca de 400 denúncias de violência contra crianças e adolescentes. “Com a ajuda da Assistência Social, do Creas, e de todos os envolvidos, o serviço para a proteção destas crianças e adolescentes fica mais fácil, pois essa força tarefa consegue dividir as responsabilidades e delegar funções específicas”, resume.

Já no sábado passado (17), a equipe do Crami e voluntários estiveram nas principais ruas da Cidade e distribuíram panfletos sobre a campanha, buscando a conscientização dos botucatuenses. As duas atividades também são alusivas ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil, celebrado em 18 de maio.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil foi instituído e regulamentado pela Lei nª 9.970/2000. A data foi escolhida para marcar o caso de violência sofrida pela menina Araceli Cabrera Sanches, de apenas 8 anos de idade, quando na ocasião (1973) foi sequestrada, espancada, brutalmente violentada e morta por membros de uma família tradicional de Vitória, Espirito Santo. Apesar de grande repercussão na mídia, o caso ficou impune.

 

Sobre o Crami

O Crami é uma entidade assistencial, sem fins lucrativos, fundada no município de Botucatu em janeiro de 1988, por iniciativa da Coordenadoria de Saúde. Há 26 anos o Crami atende crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e seus familiares.

Além do atendimento de casos de maus tratos, presta atendimento aos adolescentes autores de ato infracional no cumprimento das medidas socioeducativas de Liberdade Assistida e Internação, através do Programa Medida Socioeducativa Liberdade Assistida e Fundação CASA “Bons Ventos”.

Em Botucatu, o Crami desenvolve há 12 anos a campanha, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Secretaria Municipal de Assistência Social e demais projetos sociais.

O foco é conscientizar a população em geral para questões voltadas para o abuso sexual de crianças e adolescentes, de forma que a população assuma seu papel enquanto cidadão e não fique omisso diante desse fato, que interrompe a infância e juventude de tantas vidas de forma tão brutal.