Ladrões estão furtando bronze do Cemitério Portal

Os jazigos particulares do Cemitério Portal das Cruzes, instalado na Avenida Dom Lúcio, região central da cidade, estão sendo alvo da ação de vândalos e ladrões de peças de bronze, principalmente, vasos. A informação veio do administrador do local, Décio Campos.

Recentemente, duas pessoas suspeitas de estarem cometendo furtos foram detidas numa ação desencadeada pela Guarda Civil Municipal (GCM), mas situação está longe de estar contornada. Isso porque os ladrões não estão agindo somente no horário noturno. A recente ação foi flagrada na luz do dia quando essas duas pessoas que não moram em Botucatu estavam perambulando entre os jazigos do cemitério.

Paralelo a isso, os marginais durante a noite pulam o muro do cemitério que é relativamente baixo e além de violar em jazigos, fazem uso de substâncias entorpecentes como crack e maconha e praticam sexo nas estruturas dos túmulos. As peças em bronze acabam sendo vendidas para a compra de drogas. Houve época em que até esqueletos, principalmente crânios, eram furtados.

Segundo o administrador, a fiscalização vem sendo feita tanto pela vigilância (interna) do cemitério como (externa) pela Guarda Civil e Polícia Militar, mas como área do cemitério é muito extensa, os marginais encontram diversos locais onde podem pular o muro e ficarem escondidos praticando atos ilícitos.

“Essa atitude de invadir o cemitério havia diminuído, consideravelmente. Porém, nas últimas semanas temos recebido reclamações dos proprietários dos jazigos sobre o desaparecimento das peças de bronze”, revelou Décio Campos. “Por isso estamos solicitando ajuda da Guarda Municipal e Polícia Militar para intensificar a fiscalização nas ruas que circundam o cemitério Portal, para impedir que pessoas suspeitas pulem o muro e ganhem a parte interna”, acrescentou o administrador.

O comandante da GCM Paulo Renato da Silva adianta que a fiscalização nas imediações do cemitério será intensificada e existe até a previsão de que o local seja monitorado por câmeras de vídeo. “Isso é violação de patrimônio público e temos que combater, pois além do valor financeiro, existe o valor sentimental que as famílias têm pelas peças. Atos de pessoas invadindo o cemitério eram comuns e nós conseguimos diminuir, drasticamente. Como alguns casos de invasão e furtos foram detectados pela administração, iremos intensificar o patrulhamento”, colocou o comandante da Guarda Municipal.

Lembra que zelar pelos prédios públicos e praças são atribuições da GCM. “Felizmente, se tornaram raros em Botucatu casos de pichação em prédios e monumentos públicos, assim como vandalismo em praças. Estamos sempre atentos para coibir qualquer ação contra o patrimônio público da cidade e os próprios munícipes podem nos ajudar denunciando casos em que pessoas estejam cometendo atos ilícitos pelo telefone 199 para que a Guarda possa tomar as providências”, orientou Paulo Renato.

Foto: Valéria Cuter